Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

João Pessoa a terceira cidade brasileira, nas margens do Rio Sanhauá, onde fica o ponto extremo oriental das Américas, assinalado por um dos marcos geográficos do mundo, pouco adiante ao Farol do Cabo Branco, na ponta do Seixas, ficando portanto mais próxima do continente africano. Devido a isso é o primeiro ponto onde incidem os raios solares na América do Sul. A Cidade de clima agradável cujas praias mais procuradas são Tambaú, Cabo Branco, Manaira, Penha e Costa do Sol.

No nosso segundo dia em Ibitipoca, acordamos cedo e novamente nos dirigimos em direção ao parque para realizarmos os 11 Km (ida e volta) do Circuito da Serra do Pião. Neste dia o grupo estava completo, então fomos para o parque dividido em 2 grupos, por ter apenas um carro disponível. Enquanto aguardávamos o outro grupo na portaria do parque, fomos agraciados com a presença de um mono carvoeiro, o maior primata do Brasil, pulando de galho em galho, um colírio para nossos olhos.

Há muito tempo pretendíamos voltar a Conceição de Ibitipoca, para refazer a trilha da Janela do Céu e do Circuito das Águas, e fazer a trilha do Pico do Pião que não realizamos. Desta vez o grupo formado por Gabriel, Daniel, Diego, Thiago, Ismar, Herbert e eu, partiu sexta-feira à tarde em dois carros em direção ao Parque Estadual de Ibitipoca, localizado nos contrafortes da serra da Mantiqueira, entre o Rio de janeiro e Belo Horizonte, no Município de Lima Duarte.

Atualizado em 17/04/2016

Este pedacinho do céu chamado Conceição do Ibitipoca é um distrito do município de Lima Duarte-MG, localizado na zona da mata mineira, em plena Serra da Mantiqueira a 1.250m de altitude no sudeste de Minas. Com paisagens inesquecíveis, este paraíso não é simplesmente um lugar acolhedor, é a soma das energias e do alto astral do seu povo simples e hospitaleiro.

Foz do Iguaçu situa-se em uma localização privilegiada, na tríplice fronteira do Brasil com Argentina e Paraguai, no centro geográfico do Mercosul. Reconhecida como um destino turístico internacional, por abrigar uma das novas sete maravilhas da natureza, as Cataratas do Iguaçu, e a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia, a Itaipu Binacional, a cidade se destaca como o segundo destino na preferência dos turistas estrangeiros que visitam o Brasil, segundo pesquisa da Embratur.

No horário marcado, as 8:00h a Land Rover, da agência Rota dos Aparados nos pegou na pousada em Cambará do Sul e partimos em direção à Cachoeira dos Venâncios, nossa primeira parada. O acesso à cachoeira é realizado em 13 km depois do trevo no asfalto para Jaquirana por estrada de terra até a entrada de uma fazenda de propriedade particular de nome Cachoeiras, onde é cobrado um ingresso no valor de R$ 5,00 por pessoa.

O parque abrange os municípios de Jacinto Machado, Praia Grande (SC) e Cambará do Sul (RS). Possui belezas visuais raras, como o Canyon Fortaleza, cachoeiras e espécies raras de fauna e flora. Coexistem na área do parque a floresta de araucárias, campos e a floresta pluvial atlântica.

São três as trilhas abertas ao público no Parque Nacional do Aparados da Serra, sendo as trilha do Vértice e a do Cotovelo na parte alta do parque, que permitem contemplar as principais atrações do cânion Itaimbezinho, com entradas por Cambará do Sul. E a Trilha do Rio do Boi na parte baixa do cânion que proporciona aos turistas mais aventureiros uma caminhada longa pelo interior do cânion que exige mais esforço físico.

Cambará do Sul é uma cidadezinha no alto da serra gaúcha a cerca de 190km de Porto Alegre. E o que essa cidadezinha pacata tem a oferecer para ser tão visitada? Uma natureza exuberante. Cambará do Sul é a porta de entrada para os maiores cânions brasileiros o Itaimbezinho no Parque Nacional do Aparatos da Serra e o Fortaleza no Parque Nacional da Serra Geral o que torna a cidade ponto de encontro para aventureiros e amantes da natureza.

O percurso entre Maragogi e São Miguel dos Milagres é um dos trechos mais bonitos da viagem, passando por Boqueirão e Japaratinga, num trajeto de cerca de uma hora, repleto de belíssimas praias praticamente desertas e cercadas por plantações de coqueiros (onde, na maré baixa, dá para avançar centenas de metros com a água pelo joelho). Apesar do caminho entre São Miguel dos Milagres e Maragogi ser feito em cerca de uma hora, vale a pena reservar pelo menos a metade do dia para passear pelas praias nas pequenas vilas de pescadores que cercam a estrada. Aproveite para almoçar numa das vilas por ali mesmo, onde qualquer morador sabe indicar um restaurante bom e barato que sirva uma suculenta peixada, especialidade local.