Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

São Miguel do Gostoso, o nome em si é o primeiro a chamar atenção, então como ignorar um destino como esse. De uma pequena vila de pescadores, com praias e paisagem de tirar o fôlego, Gostoso, como é carinhosamente chamado, rapidamente tornou-se um destino muito procurado por turistas de todas as partes do mundo. Localizado a pouco mais de 1h30min de carro ao norte de Natal, é facilmente identificado por suas praias de areias fofas e brancas e águas cristalinas quase virgem.

As 08:00 horas, logo após o café da manhã, partimos também de buggy em direção ao litoral sul de São Miguel do Gostoso, sempre pela areia da praia, quando era possível. Neste roteiro até Maracaju passamos por praias quase desertas e intocadas, com cara e jeito de colônia de pescadores. Nossa primeira atração foi conhecer o Km zero da BR 101, que corta o Brasil de Norte a sul.

Em Gostoso a gente não precisou de despertador para acordar, pois bem cedo os galos cantavam para o nosso despertar. Era como estar na roça a beira-mar, hehehehe. Após o café da manhã seguimos de buggy da Praia do Maceió em direção as praias situadas no litoral norte potiguar, passando por charmosos e sossegados vilarejos, possuindo belezas e encantos únicos, com o típico ar nordestino.

Dia de sol forte, partimos para o Litoral Norte de Natal, este é um passeio mais que obrigatório para quem visita Natal, o passeio de buggy pelas dunas de Genipabu e arredores. Saímos de Ponta Negra, passando pelas praias urbanas da Areia Preta, dos Artistas, do Meio e do Forte, onde se encontra o belo Forte dos Reis Magos.

Fomos de buggy para o litoral sul do Rio Grande do Norte, sempre pela areia quando foi possível, e muitas foram as atrações deste roteiro. Saímos de Ponta Negra, passando pela Praia de Pium, Barreira do Inferno, onde na entrada tem como monumentos um avião e antigos foguetes. Em seguida passamos pela Praia do Cotovelo, por Pirangi do Norte, onde tem o maior cajueiro do mundo, deixamos para conhecê-lo na volta.

A Cidade de Natal foi fundada em 1599, às margens do Rio Potengi, é conhecida mundialmente e conta com importantes pontos turísticos. É também conhecida como a “Capital Espacial do Brasil”, devido às operações da primeira base de foguetes da América do Sul, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, hoje localizada no município de Parnamirim. Historicamente, a cidade teve grande importância durante a Segunda Guerra Mundial em 1942 durante a Operação Tocha, já que os aviões da base aliada americana se abasteciam com combustível no lugar que hoje é o Aeroporto Internacional Augusto Severo, sendo classificada como “um dos quatro pontos mais estratégicos do mundo”.

João Pessoa a terceira cidade brasileira, nas margens do Rio Sanhauá, onde fica o ponto extremo oriental das Américas, assinalado por um dos marcos geográficos do mundo, pouco adiante ao Farol do Cabo Branco, na ponta do Seixas, ficando portanto mais próxima do continente africano. Devido a isso é o primeiro ponto onde incidem os raios solares na América do Sul. A Cidade de clima agradável cujas praias mais procuradas são Tambaú, Cabo Branco, Manaira, Penha e Costa do Sol.

Foz do Iguaçu situa-se em uma localização privilegiada, na tríplice fronteira do Brasil com Argentina e Paraguai, no centro geográfico do Mercosul. Reconhecida como um destino turístico internacional, por abrigar uma das novas sete maravilhas da natureza, as Cataratas do Iguaçu, e a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia, a Itaipu Binacional, a cidade se destaca como o segundo destino na preferência dos turistas estrangeiros que visitam o Brasil, segundo pesquisa da Embratur.

Kathmandu é a capital e maior cidade do Nepal, chegou a ser considerada a lendária e inacessível Shangri-La, possui quase hum milhão de habitantes, está localizada no centro do país, a 1370 metros de altitude. Foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1979, e foi embalada pelo movimento hippie nos anos 60, o que faz persistir até hoje em suas ruas e bairros uma certa aura de fantasia, magia e mistério. Foi fundada em 723 pelos newares.

O percurso entre Maragogi e São Miguel dos Milagres é um dos trechos mais bonitos da viagem, passando por Boqueirão e Japaratinga, num trajeto de cerca de uma hora, repleto de belíssimas praias praticamente desertas e cercadas por plantações de coqueiros (onde, na maré baixa, dá para avançar centenas de metros com a água pelo joelho). Apesar do caminho entre São Miguel dos Milagres e Maragogi ser feito em cerca de uma hora, vale a pena reservar pelo menos a metade do dia para passear pelas praias nas pequenas vilas de pescadores que cercam a estrada. Aproveite para almoçar numa das vilas por ali mesmo, onde qualquer morador sabe indicar um restaurante bom e barato que sirva uma suculenta peixada, especialidade local.