Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Fizemos este tour na parte da manhã, praticamente todas agências realizam este passeio, e partimos em uma van em direção ao deserto. A estrada em sua grande parte é muito boa, apesar de ser de terra. E no caminho é possível encontrar alguns representantes da fauna andina, como a raposinha do deserto. Paramos antes em um local que faz parte do trekking Guatin, onde atravessamos um riacho, formado por outros dois, um de água fria, vinda de degelo das montanhas e outro de água quente, proveniente de uma fonte termal.

Os Gêiseres del Tatio são uma das maiores atrações do Deserto do Atacama, no Chile. São cerca de 80 gêiseres em todo complexo, sendo assim o maior campo geotermal do hemisfério sul e terceiro maior do mundo, porém nem toda a área é aberta à visitação por questões de segurança. Está localizado a cerca de 90 quilômetros ao norte de San Pedro de Atacama e é também um dos campos termais mais altos do mundo, situado a mais de 4300 metros de altitude, na Cordilheira dos Andes.

Um dos principais cartões-postais do Atacama, as lagunas Miscanti e Miñiques, estão localizadas no altiplano da região de Antofagasta, distante cerca de 110 km de San Pedro de Atacama e a 4.000 de altitude. A beleza do lugar é dada por essas duas belas lagoas cercadas por altos cumes com vista espetacular sobre o Salar de Atacama, é um circuito que os turistas não devem perder. Este setor é parte da Reserva Nacional Los Flamencos e é gerido pela comunidade indígena de Socaire em associação com a National Forest Corporation.

Por que viajar para o Atacama? É quente e poeirento de dia e congelante à noite, é o deserto mais alto do planeta onde raramente chove, é árido, é inóspito, é longe de tudo. Mas então, por que tanta gente vai para lá? Porque é mágico, inesperado, atraente, com contraste que somente o Atacama possui. É possível encontrar rios de águas congelantes proveniente do degelo nas montanha e outros de águas termais aquecidas por campos subterrâneos de lava…

Pense em um país longo e estreito, meio que espremido entre a cordilheira dos Andes e o oceano pacífico, que por causa dessa configuração geográfica possui grande contraste, de um lado o deserto mais árido do mundo, de outro imensas geleiras, no centro uma cidade moderna e cosmopolita e tudo isso rodeado de vulcões, muitos deles ativos, esse é o Chile, país que voltamos a visitar depois de seis anos. Nesse roteiro de onze dia escolhemos destrinchar a sua capital Santiago e arredores e o espetacular Deserto de Atacama.

O Deserto de Atacama, foi a terceira etapa da nossa viagem pela Bolívia e Chile. Depois de cruzamos o Deserto de Sioli no sudoeste da Bolívia, passando pelas Lagunas Verde e Colorada, e entramos no Chile. Com cerca de 200 Km de extensão, é considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo, pois chove muito pouco na região, em consequência das correntes marítimas do Pacífico não conseguirem passar para o deserto, por causa de sua altitude.