Florença - Perambulando pela Europa - Tô Perambulando

Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Florença – Perambulando pela Europa

Firenze para os italianos, é a capital da Toscana

Florenca_650x120

14º Dia: Florença – Itália

Deixamos a cidade eterna e seguimos para o norte em direção a Região da Toscana, mais precisamente Florença, percorrendo a autoestrada A1 e observando ao longo dela vales e pequenas colinas com muitas propriedades com imensas plantações de vinhedos, entendendo assim o porque desta região ser produtora de um dos melhores vinhos do mundo.

A cidade de Florença, ou Firenze para os italianos, é a capital da Toscana e oferece inúmeras maravilhas históricas e arquitetônicas para se ver e admirar, e para desvendar estas preciosidades basta sair andando e ficar atento aos mínimos detalhes. O rio Arno divide a cidade em duas partes, de um lado, o coração histórico da cidade com sua maravilhosa Basílica de Santa Maria del Fiore, o Batistério, a torre do sino Giotto, a Piazza della Signoria, o Palazzo Vecchio, a Galeria Uffizi, as igrejas Santa Croce e Santa Maria Novella e do outro lado o tranquilo bairro residencial de Oltramo que ostenta o Palazzo Pitti (antiga residência da família Medici) e a Igreja Santo Spirito. Para atravessar o Rio, o melhor caminho é ir pela Ponte Vecchio e aproveitar para dar uma olhadinha nas joalherias que se fixaram no local.

Começamos nosso roteiro pelo complexo da Duomo que é um dos pontos altos da cidade, pois ali o passado pulsa com muita energia e vivacidade . São três construções que podem ser consideradas como símbolos da cidade: Basilica, Campanile e Battistero. A imponente Basílica de Maria dei Fiore é uma preciosidade de tirar o fôlego de qualquer um, possui uma fachada neogótica onde se destaca um rico mosaico todo revestido com mármore verde, rosa e branco. É a quarta maior catedral do mundo e a mais famosa construção da cidade, levou quase dois séculos para ser construída, foi projetada e criada pelo genial arquiteto Brunelleschi e possui em seu interior obras primas de grandes gênios da arte renascentista, como Zuccari, Donatello, Uccello e Ghiberti. Para chegar ao seu topo é preciso subir quase 500 degraus. O Campanário projetado por Giotto, bem ao lado da igreja com seus 85 metros de altura constitui a torre do Duomo . A terceira construção do conjunto forma o Batistério, o menor prédio e um dos mais antigos da cidade que fica à esquerda do Duomo, onde Dante foi batizado. Muita gente faz fila para poder conhecer as maravilhas da Piazza del Duomo. Andando alguns quarteirões chega-se a Piazza della Signoria, coração e centro do governo de Florença. Ela está cercada por uma magnífica arquitetura e espetaculares obras de arte, onde se destaca uma réplica do herói bíblico David, de Michelangelo, que não cansa de manter a pose para tantas máquinas fotográficas, como se tivesse acabado de matar o gigante Golias neste exato momento, a peça original pode ser vista na Galleria dell’Accademia. Além desses fatos a Piazza della Signoria reúne o prédio mais importante que é o Pallazo Vecchio, onde funciona a prefeitura da cidade desde 1322. Em estilo medieval, possui uma torre com sino, que servia para alertar a população na época das grandes batalhas sobre algum perigo iminente. Por séculos tem sido nesta praça onde os fatos políticos e históricos mais importantes da cidade acontecem e era ali que a plebe se reunia para festejos e protestos.

Muito perto da Piazza della Signoria está simplesmente o maior e imperdível museu de arte da Itália, a Galleria Uffizi, onde estão diversos exemplos da arte Fiorentina, como O Nascimento de Vênus (de Botticelli), Vênus de Urbino (Ticiano) e a Sagrada Família (Michelangelo), além de obras dos gênios como Leonardo da Vinci, Giotto e tantos outros artistas imortais.

<

Outro ponto imperdível de Florença é a Santa Croce. Esta igreja teve suas capelas projetadas por Giotto, Della Robbia e Brunelleschi e guarda 276 sepulturas de nomes imortais das artes, como Michelangelo, Ghiberti, Machiavelli, Dante e Galileo, só para citar alguns. Pouco adiante, ao lado da igreja está a Casa Buonarroti, que pertenceu a Michelangelo, e onde são guardadas reproduções de outros seus trabalhos. Depois, se sobrar tempo vale dar uma passada na Galleria dell’Academia para conferir a obra-prima original de Michelangelo, Davi, medindo 5 metros de altura, que ocupa um lugar de honra na entrada do prédio do Museu, fundado em 1784 por Leopoldo de Lorena. É realmente uma experiência indescritível ficar ali por algum tempo, apreciando a perfeição de um trabalho feito há mais de 500 anos.

Passamos pelo Mercado del Porcellino, um mercado ao ar livre, possuindo várias barraquinhas onde se vende produtos de couro, camisas e casacos, lembrancinhas, e muito mais. Tem até o famosíssimo javali de bronze, que diz a lenda que para saber se você terá sorte, basta esfregar a mão no focinho dele e depois colocar uma moeda em sua boca, se ela cair na grelha você terá sorte. A minha caiu na grelha, porém muitas que caíram fora foram literalmente “afanadas” por senhoras vestidas de ciganas que ficam ali na espreita. Rsss. Caminhando na direção do rio Arno chega-se na ponte mais famosa de Florença, a Ponte Vechio, construída em 1345 e única ponte da cidade a escapar da destruição nazista durante a segunda guerra. Ao longo de suas duas extremidades encontram-se uma infinidades de pequenas lojas vendendo joias de ouro e prata. É um lugar inspirador e é uma parada obrigatória para muitas fotos, pois possui arcos medievais sobre o rio que corta a cidade e fica mais exuberante a medida que a noite chega. Um fato interessante é que ao longo da ponte, há vários cadeados, especialmente no gradeamento em torno da estátua de Benvenuto Cellini, que está ligado à antiga ideia do amor e dos amantes que ao trancar o cadeado e lançar a chave ao rio, os amantes tornavam-se eternamente ligados. Graças a essa tradição e ao turismo desenfreado, milhares de cadeados tinham de ser removidos com frequência, estragando a estrutura da ponte. Devido a isso, o município estipulou uma multa de 50 euros para quem for apanhado em flagrante, colocando cadeado na ponte. Ainda bem que não me pegaram. Hehehehe.

Considerações finais

A capital da Toscana é a cidade dos sonhadores, dos artistas e dos apaixonado. Das pessoas que veem a vida com olhos de poeta, ouvidos de músico e coração de quem ama. É uma cidade encantadora, com ruas estreitas, uma multidão de turistas e um tesouro a cada passo dado. De acordo com a Unesco, a Itália concentra 60% do patrimônio artístico mundial e metade dessas obras estão nesta cidade. Com certeza Florença foi a grande referência do Renascimento no despertar artístico e cultural dos séculos XV e XVI, atraindo nobres escritores e pensadores como Dante, Galileu e Maquiavel, porém foi nas artes de Leonardo da Vinci, Botticelli, Michelangelo, entre outros que se tornou eterna.

Visitar esta cidade é como percorrer um museu ao ar livre, não tenha nenhuma pressa, sinta a genialidade artística desses imortais apenas caminhando entre suas ruas, pontes, praças e prédios medievais, pare, olhe em todas as direções e ângulos, viaje de volta no tempo a vários séculos atrás e descubra uma obra prima em cada esquina, pois você está num dos centros de maior cultura da história da humanidade.

Não deixe de visitar à magnífica Basílica de Santa Maria del Fiore, mais conhecida como o Duomo di Firenze, construída em 1245 com afrescos importantes e uma grandiosa representação do Juízo Final, sem esquecer o anexo que leva a torre do sino construídos em 1334 pelo grande maestro Giotto três anos antes de sua morte. De sua torre com mais de 80 metros de altura obtemos uma vista magnífica de quase todo centro histórico da cidade. Ao lado encontramos o belo batistério, com data de 897. Outras igrejas que também merecem ser visitadas são a de Todos os Santos, com afrescos de Botticeli e Ghirlandaio, Santa Maria Novella, onde está a Trindade de Masaccio, e Igreja do Espírito Santo, uma das últimas obras de Brunelleschi, e onde encontra-se a Madonna de Filippino Lippi.

É realmente difícil não se emocionar ao visitar a Piazza della Signoria e ver a Fonte de Netuno e as estátuas de David e Hércules se destacando entre várias outras maravilhas da Renascença, e como não bastasse o encantamento visual que Florença desperta, ela também apresenta os prazeres da boa mesa fiorentina. Depois de se deleitar com tantas obras de arte é praticamente irresistível a um convite para sentar nas cadeiras de um daqueles restaurantes e almoçar, saboreando um bom vinho da toscana. Foi o que fizemos, afinal, a vida é bela! Hehehehe. Vá também a Ponte Vecchio e aproveite para dar uma olhadinha nas joalherias que se fixaram no local e tire ótimas fotografias, principalmente na hora do pôr do sol, pois os raios do astro-rei sobre as águas do rio produzem uma excelente paisagem para ser admirada. É imperdível. Não deixe de ir a Piazzale Michelangelo, um dos mirantes mais bonitos da cidade, a vista é realmente de tirar o fôlego, e de lá você consegue apreciar e curtir toda beleza de Florença.

Texto: Valdir Neves

Veja as Fotos

As dicas para quem vai a Florença

Como Chegar

De carro

Florença é facilmente acessível de carro pela estrada A1 Roma-Florença ( 290 km em mais ou menos 3 horas ).

De Trem

Linhas de trem de alta velocidade Trenitalia FRECCIARGENTO e FRECCIAROSSA, que com apenas 44 euros é possível chegar a Florença saindo de Roma em apenas 1 hora e 30 minutos, ou usar os trens interurbanos normais, com tarifas a partir de 28 € e as viagens com duração de 3 horas e 20 minutos.

De Avião

A Alitalia oferece vôos diretos a partir de Roma em torno de 100 €.

O que fazer

Torre do Duomo

É possível visitar esta maravilha todos os dias das 08:30 as 19:30 todo o ano, exceto Fevereiro, o mês de encerramento, o bilhete custa 6 euros por pessoa.

Galleria dell’Academia

para conferir a obra-prima original de Michelangelo, Davi. Como se formam filas na porta, uma dica é comprar o ingresso, que sai por 10 euros, com antecedência pela internet, no endereço www.uffizi.firenze.it.

Onde ficar

Academy Hostel

7º lugar no ranking dos melhores albergues do mundo. Fica ao lado do Duomo, principal cartão postal da cidade. Diárias a partir de 28 euros nos dormitórios com banheiro privado. Duplo a partir de 60 euros, com internet gratis, ar condicionado, sabonete e shampoo.

Onde Comer

Trattoria Zazá

Mais simples, bem central e perfeita para uma pausa de almoço no meio da andança pela cidade. Fica na Piazza del Mercato Centrale 26r.

Trattoria Buzzino

Na Via dei Leoni, pertinho da Uffizi, aliás uma boa pedida para depois de se fazer todo o circuito do museu, um espetacular risoto de frutos do mar está a sua espera. Pode não ser o melhor risoto de sua vida, aposto que será , mas vai ficar aquela vontadezinha de voltar lá para um segundo tempo.

Osteria i’brincello

Menu turístico a partir de 12 euros – fica na Via Nazionale 110.

Como circular em Florença

Florença oferece excelentes serviços públicos que asseguram o transporte de qualidade e oportunos, tais como ônibus cujo bilhete tem a duração de 90 minutos e podem ser comprados diretamente dentro deles. A periferia é muito bem ligada com centro histórico através de ônibus elétricos feitos para o tráfego no centro. Os preços variam a partir de 1,20 € para viagens one-way de 90 minutos, 5 € para todas as linhas e é válido 24 horas, 12 euros para bilhetes válidos por 3 dias, 10 euros para 10 bilhetes a 90 minutos, 20 € para 21 bilhetes 90 minutos e 5 euros para o ônibus do aeroporto ao centro da cidade. Uma boa alternativa para os ônibus são os táxis, disponível em várias zonas de estacionamento na cidade ou ligando para o número 0039 0554390, com uma tarifa base de partida de 3,20 euros durante o dia e 6,40 euros de noite.

Outras Dicas

  • O Firenze Card permite o acesso livre a 33 museus e jardins históricos de Florença sem a necessidade de enfrentar filas. É possível, também, andar nos transportes públicos com ele. Custa 50 euros e vale por 3 dias. Junto, o turista recebe um kit com informações sobre as principais atrações da cidade.

    www.firenzecard.it

  • Em cidades como Florença e Roma, se bobear se passa mais tempo na fila do que no museu. Para amenizar a cidade de Florença passou a oferecer o sistema de reserva on-line que custa 3 a 4 euros mais por bilhete. Como economia de tempo é sempre um bem maior nas viagens, faça a reserva pelo site firenzemusel. É só retirar o ticket na hora marcada
  • Melhor época para se visitar a cidade é definitivamente o mês de junho, onde as temperaturas estão em torno de a 26 graus e setembro, com temperaturas de 25/26 graus e pouca chuva. Desaconselhável os meses de inverno mais frios como Janeiro e Fevereiro, onde as temperaturas podem chegar abaixo de zero e se tem a possibilidade de nevar.
  • Finalizando, a palavra “prego” é muito utilizada na Itália, é quer dizer ok, obrigado, de nada.Usa-se a palavra “prego” para pedir um favor e também como uma interjeição “de nada” ou um “ok”.
  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    1. Grande realmente você deveria ter ido com a gente, realmente a viagem foi show de bola. A viagem foi divertidíssima e lógico muitas amizades conquistadas. Estamos pretendendo ir a Bonito em maio e Nepal em outubro. Esperamos você e sua esposa na primeira. No nepal contamos com você. Valdir.

    2. DEVIA TER IDO COM VOCÊS. QUE LUGARES LINDOS! PELO QUE SEI, IMAGINO A FESTA QUE FIZERAM E A DIVERSÃO. AS FOTOS, COMO SEMPRE BELÍSSIMAS, DÃO BEM A SENSAÇÃO DE VER MONUMENTOS INCRÍVEIS. GRANDE ABRAÇO.