Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Madrid – Perambulando pela Europa

Também Mérida e Toledo, terra de Dom Quixote de La Mancha

Madrid_650x120

Continuando nossa viagem pela Europa, saímos cedo de Lisboa com destino a Madrid, a capital Espanhola é uma das cidades que mais turistas atraem em todo o mundo, pois possui belos prédios, grandes e imponentes avenidas, clima agradável, bonitas tradições, boa música, gastronomia diversificada e deliciosa, bons vinhos, cultura, artes, e uma infraestrutura eficiente, que oferece todo conforto a seus visitantes.

4º Dia: Mérida e Madrid

Saímos de Lisboa com destino a Madrid, atravessamos a bonita ponte 25 de abril que passa sobre o rio Tejo e pegamos a autoestrada A2 e depois a A6, passando pela periferia das cidades de Évora e Extremoz até chegar a fronteira junto a Elvas. Seguimos então por terras espanholas pela A5 a partir de Badajoz até a cidade de Mérida, fundada pelo imperador romano Otávio Augusto em 25 a.C, sendo capital da província da Extremadura e que fica a menos de 300km de Lisboa, muito perto portanto de Portugal. Almoçamos no centro de Mérida e logo após fomos conhecer os pontos turísticos que a cidade tinha para nos oferecer, e para ganhar tempo pegamos o trenzinho que percorre as principais atrações da cidade como o Teatro Romano, construído em 16 antes de Cristo, atualmente utilizado para os festivais de verão; o anfiteatro que foi inaugurado no século 8 AC com capacidade para 14.000 pessoas. Destinado as lutas entre gladiadores e as corridas, este monumento esteve enterrado durante centenas de anos e só há algumas décadas foi descoberto, embora infelizmente tivesse a parte de cima destruída. O anfiteatro é um dos maiores conjuntos arqueológicos de Espanha e foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO em 1993.

Passamos também pela Ponte Romana, com 64 arcos de granito e 729 metros de comprimento construída sobre o Rio Guadiana no reinado de Augusto, depois pelo Arco de Trajano, pelo Templo de Diana e outros monumentos. Retomando o caminho novamente pela A5, percorremos em torno de 4 horas cerca de 350 Km até o centro de Madrid, uma das mais belas e agitadas capitais da Europa, onde nos dirigimos ao nosso hotel que ficava numa calle próxima a Plaza Puerta del Sol, bem no centro da cidade. Após acomodação e um breve descanso saímos para conhecermos a área no entorno do hotel, lógico que fomos em direção a Puerta del sol, ou simplesmente Sol como os espanhóis a chamam. Na praça com diversas tabernas e restaurantes deparamos com uma grande concentração de turistas de todas as partes do mundo, além é claro de espanhóis proporcionando um grande agito no local. Também observamos vários prédios históricos, e o símbolo da cidade de Madri, a estátua “El Oso y el Madroño”.

5º Dia: Perambulando por Madrid

Logo pela manhã, realizamos de ônibus uma visita panorâmica pela capital da Espanha, passando por lugares emblemáticos como a Plaza de España (com destaque para a estátua de Cervantes e seus personagens Don Quixote e Sancho Pança), o Palácio Real, Parque del Retiro, uma imensa área verde bem no centro, a Catedral da Almudena, a Plaza Mayor, a Puerta del Sol, Plaza de Toros, Estádio Santiago Bernabeu, Museu do Prado e outros. Paramos para fotografia em frente ao Santiago Bernabeu, estádio do poderoso Real Madrid, a seguir na Plaza de Toros e depois percorremos a pé as ruas que nos levaram ao Palácio Real, a Plaza Mayor e finalmente a Puerta del Sol. Apesar ser contra as touradas pela crueldade praticada com os animais, é imperdível uma visita a Plaza de Toros de Las Ventas, é um local onde se respira a tradição espanhola. Inaugurada em 1931, sendo a maior deste gênero na Espanha com capacidade para 25.000 espectadores, possui uma arquitetura muito bonita, que enche os olhos de qualquer um que a visita. A temporada tauromáquica começa em março e prolonga-se até outubro, tendo corridas todos os domingos e durante todos os dias da Feira de São Isidro que ocorre entre meados de maio a meados de junho.

O Palácio Real é a versão espanhola de Versailles e é um dos maiores e mais luxuosos da Europa, contando com mais de 2000 aposentos, das quais somente 50 são abertos a visitação pública, continua sendo oficialmente a residência do Rei de Espanha, apesar de que na atualidade só é utilizado para encontros diplomáticos e eventos oficiais. A sua frente fica a Plaza Oriente com seu belo jardim ornado com estátuas de diversos reis da Espanha.

A Plaza Maiyor, construída pelo rei Felipe é considerada a mais bela de toda a Espanha e uma das maiores e mais bonita da Europa, certamente se fosse escolhido um lugar para representar a cidade, com certeza esta praça seria unanimidade. Em tempos passados esta praça serviu para touradas, coroações, casamentos, festivais, execuções, fogueiras da inquisição e qualquer outro grande evento de massas. Atualmente as arcadas da Plaza Mayor são ocupadas principalmente por muitos turistas, pequenas lojas, diversos restaurantes e shows ao vivo.

Posteriormente passamos pelo Mercado São Miguel, um local muito bonito, com uma arquitetura fantástica toda em ferro e vidros, onde podemos encontrar uma vasta variedade gastronómica, desde típicas espanholas aos famosos gelatos e finalmente Plaza Puerta del Sol, onde pudemos ver com mais calma o belo prédio dos correios e tirar fotos no marco inicial das rodovias espanholas, demarcado no chão com uma placa onde está escrito “kilometro zero”, este é o ponto de onde são medidas todas as distâncias na Espanha. Retornamos novamente a Plaza Mayor para degustar, por um ótimo preço, uma excelente paella com um bom vinho, sentados ao ar livre nas cadeiras dos diversos restaurantes que rodeiam todo complexo.

A tarde seguimos a pé a calle de Sta Isabel que nos deixou bem em frente ao museu Reina Sofía, onde está exposta a famosa tela ”Guernica”, de Pablo Picasso e outras de Dali, Miró, etc… Seguimos pelo lo Paseo del Prado, passando pelo belo Real Jardim Botânico e logo a seguir museu do Prado, que perde somente para o Louvre como museu com mais obras de arte. Alí estão expostas obras de Goya, Tinteretto, El Greco, Velasquez, Rubens, entre outros. Como nossas mulheres queriam fazer compras nas ruas do centro, seguiram com os amigos mineiros, Paulinho e Karine. Eu e Herbert, continuamos andando pelo mesmo paseo em direção a Decatlon, loja de material esportivos, com muitos equipamentos para trekking e escalada, só que agora entre as duas pistas, contemplando os belos jardins floridos ali existente, passamos o cruzamento da Calle de Alcalá com a Gran Via, uma área de trânsito intenso, onde estão situados a Plaza de Cibeles, uma das mais bonitas da cidade, o Palacio de Comunicaciones, no estilo de uma catedral, Banco de España, construção de 1882 que guarda as reservas de ouro do país e Palacio de Linares. Continuamos nossa caminhada agora pelo Paseo de Recoletos e após Paseo de la Castellana onde depois de muito andar sob um calor intenso com o astro-rei castigando no corpo, enfim chegamos a loja já perto da estação do metrô Nuevos Minesterios, ufa, gente como andamos. Não compramos nada, pois a loja era mais especializada em golfe, a outra loja ficava muito distante e fora da cidade, então resolvemos voltar de metrô pois o cansaço era grande. Entramos na estação Novos Ministérios e foi aí que aconteceu um fato interessante, não sei se foi por distração e/ou cansaço nosso, pegamos o metrô em direção a Puerta del Sur, pensando ser Puerta del Sol, cujo nome da estação é apenas Sol. Depois de andar muito no metrô e o comboio voltar a superfície percebemos que estávamos numa área rural de Madrid, então descemos na estação chamada Casa de Campo, é mole, já ouviram falar deste lugar em Madrid, hehehehehehe. Retornamos então para a verdadeira Sol em Madrid e ainda deu tempo para dar uma passada na Gran Via e se deliciar com as belas fachadas das lojas e prédios ali existente, inclusive da bonita Catedral Almudena.

À noite fomos a uma casa de espetáculo chamada Corral de la Pacheca jantar e assistir a um verdadeiro show de música Flamenca, um estilo de dança bonita e emocionante com raízes na região da Andaluzia, bem como nas tradições ciganas, portanto presente na própria cultura deste povo e consistindo basicamente na apresentação de dançarinos, trajando roupas típicas e coloridas, acompanhados por um ritmo empolgante marcado por castanholas, palmas e alguns instrumentos musicais, como o violão, que fazia a todos espectadores presentes sentir a magia e a paixão dessa cultura milenar. Vir a Espanha e não assistir a este show é a mesma coisa que ir a Roma e não ver o papa ou ir ao Rio de Janeiro e não ver o carnaval no sambódromo.

6º Dia: Toledo – Madrid

Seguimos de Madrid pela autoestrada A42 e após percorrer aproximadamente 80 Km em cerca de 1 hora chegamos a milenar cidade de Toledo, na região de Castilla e La Mancha, em cujos arredores viveu o fictício herói de Cervantes, Dom Quixote de La Mancha. Antes mesmo de entrarmos na parte murada da cidade observamos todo seu esplendor através de um belo mirante, de onde se pode ver quase todo seu magnífico conjunto arquitetônico, com castelos, a catedral em estilo gótico e o rio Tejo, sim o mesmo que tem sua foz próximo a Lisboa, chamado em Espanhol de Tajo. Depois paramos para visitar a Oficina Damasquinos Soares onde são produzidos espadas e joias artesanalmente, as espadas são feitas com a mesma técnica que os romanos teriam copiado no segundo século a.C. O melhor testemunho dessa tradição milenar são os próprios moradores da cidade que ainda hoje grande número de artesãos fazem nas oficinas armas como as que seus tataravós usaram para defender a cidade. Uma tecnologia de ponta à sua época, essa técnica ficou tão bem preservada porque foi necessária à defesa da cidade quando Toledo esteve cercada diversas vezes por inimigos em sua fantástica história. As armas atuais não são apenas eficientes, são também bonitas, especialmente porque, no século XV, o metal passou a ser enfeitado com finas folhas de ouro e prata, que são introduzidas no desenho do objeto trabalhado. Trata-se do damasquinado, atualmente um dos maiores atrativos das armas brancas e outros objetos artesanais de Toledo e que foi aprendido dos árabes, daí o nome, derivado de Damasco, a capital da Síria. Na realidade, esses desenhos são um dos ofícios mais antigos e dizem os estudiosos que já eram feitos no Antigo Egito. O resultado é magnífico, e não é por outro motivo que as espadas toledanas tenham se tornado parte dos uniformes de gala de soldados de todo o mundo, inclusive do Brasil. Todo grupo ficou muito impressionado com o que viu e aprendeu ali, sendo que depois desta aula de história foi impossível não comprar nada, nem que fosse uma pequena lembrancinha, porém muitos euros da trupe na aquisição de joias damasquinadas ficaram ali, hehehehehehe.

Logo após, adentramos a cidade murada e nos sentimos dentro de um filme da época medieval. Toledo é uma pequena cidade fortificada que ficou famosa por ter sido povoada durante séculos por três culturas diferentes, a cristã, a judaica e a árabe e para conhecer a cidade, a dica é caminhar. Em cada canto desse importante destino histórico, o turista se depara com monumentos que misturam essas culturas e não tem como não se encantar. Também há obras importantes na Catedral e na Igreja de Santo Tomé do pintor El Greco, que se mudou para Toledo em 1577 e por ali morreu. Entre um sobe-e-desce constante por suas ruas medievais, uma placa explica tudo sobre a rota de Dom Quixote, e aí você percebe que está na região dos moinhos e castelos, imortalizada por Cervantes nas aventuras de Dom Quixote e Sancho Pança. Visitamos a imensa catedral gótica de Toledo que começou a ser construída em 1226, que conta com 26 capelas e têm também mais de 750vitrais, é sede da Arquidiocese de Toledo, sendo considerada a obra magna desse estilo no país. Passamos por todo complexo dessa portentosa e bela catedral, com destaque para a “Capela Maior” que é toda dourada e com muitos, mas muitos detalhes que explicam a paixão de Cristo, sendo um museu de obras religiosas com trabalhos de El Greco, Goya, Tristán, entre outros. Uma de suas partes mais magníficas é o Altar Barroco chamado El Transparente, que consiste num facho de luz que vem de uma apropriada fenda no teto fazendo com que o altar, por alguns minutos, pareça estar se elevando aos céus. Mesmo quem não é católico vai gostar muito dessa visita. Não se limite, portanto, a visitar apenas a Catedral, perca-se nas ruelas medievais, mas não saia sem achar outros monumentos como o Museu Sefaradi, na Sinagoga del Transito, e as ruínas da Mesquita do Cristo da Luz.

Considerações finais

Madrid é uma das cidades que mais turistas atraem em todo o mundo, pois possui belos prédios, grandes e imponentes avenidas, clima agradável, bonitas tradições, boa música, gastronomia diversificada e deliciosa, bons vinhos, cultura, artes, e uma infraestrutura eficiente, que oferece todo conforto a seus visitantes. Sua arquitetura é notável, com prédios e monumentos imponentes espalhados por toda a cidade, destacando, a Plaza Mayor, o Palácio Real, a Ópera e o Museu do Prado. Nas suas tradições, destacamos o Flamenco que é uma experiência única e que você não deve perder essa atmosfera eletrizante que essa dança proporciona. Você pode assistir em Teatros , casas de shows e até mesmo nas Festas Populares. A culinária espanhola é fantástica e é outro item imperdível, com destaque para as famosas paellas e os tradicionais “Tapas” que são tira-gostos aliados a uma cervejinha bem gelada, não esquecendo também os excelentes churros e porras, isso mesmo, os espanhóis se fartam de porras, comem porra à vontade. Pensou logo besteira, hehehehehe. Porra é uma fritura doce, igualzinha ao churro, só que num formato mais grosso e alongado, sendo os mais fininhos os churros. A sensação que Madri transmite aos turistas continua sendo de uma cidade dinâmica e moderna, mas também com coisas que transmitem com perfeição o clima histórico de Madri como seus bairros antigos, onde cada recanto nos fazem descobrir atrativos e prazeres diferentes. Percorrer suas ruelas com centenários lampiões e deparar com restaurantes e tabernas com balcões de ferro, conduzem a gente de volta no tempo. A área próxima à Plaza Mayor e Cuchilleros reúne um pouco desta Madri encantadora, que já seduziu e continua seduzindo tanta gente, preservando sempre sua herança histórica e as belas tradições. Os madrilenhos são muito orgulhosos de sua encantadora metrópole e sua contagiante alegria aliado a várias áreas repletas de bares descolados que ficam lotados até amanhecer, dão a Madrid uma reputação boêmia. Então se viajar é sinônimo de festejar, Madri é o lugar, pois é uma cidade vibrante e caliente e muito acolhedora que merece uma visita com calma, para que se possa aproveitar bem tudo de bom que ela tem para mostrar.

Na medieval Toledo caminhar pelos becos e vielas é reviver a Idade Média na terra do lendário Dom Quixote de La Mancha. Toledo é uma simpática cidadezinha que fica próximo à Madri, pequena porém cheia de mistérios e de história, onde marcas dos povos que a invadiram estão convivendo harmoniosamente por toda parte. Dá para passear a pé numa boa por toda a cidade, que é linda. A catedral merece uma demorada visita, mas em um dia da para conhecer todas suas atrações tranquilamente, mas fica como lembrete que Toledo é um passeio obrigatório para que está em Madrid. Fica aqui também um alerta para o decrescente número de artesãos da arte damasquina de Toledo, pois sua técnica enfrenta a crescente concorrência das máquinas, introduzidas para facilitar o antigo trabalho, todo manual. Mesmo assim, procura-se ao máximo preservar os artesanatos originais e a mão-de-obra tradicional que não é pouca coisa. Será um pecado se esses artesões vierem a desaparecer no futuro juntamente com sua técnica, pois são parte viva dessa e muitas outras gerações que a cidade guarda do passado.

Texto: Valdir Neves

Veja as Fotos

As dicas para quem vai a Madri


    O que fazer

    • Visita ao Palácio Real de Madrid

      Horário: de 2.ª feira a sábado, das 9,30 às 17,00 horas. Domingos e feriados, das 9,00 às 14,00 horas. Verão: de 2.ª feira a sábado, das 09,00 às 18,00 horas. Domingos e feriados: das 9,00 às 15,00 horas.

    • Visita ao Museu Nacional del Prado

      Horário: de 2.ª feira a sábado, das 10:00 às 20:00 horas. Domingos e feriados, das 10:00 às 19:00 horas.

      Horário reduzido: 6 de janeiro, 24 e 31 de dezembro de 10:00 as 14:00 horas.

      Preço: O Museu do Prado estabeleceu um bilhete único de acesso às exposições permanentes e temporárias, no valor de 10 euros. Em casos excepcionais, o bilhete poderá chegar aos doze euros.

    • Museu Reina Sofia

      Horário: de 2.ª feira a sábado, das 10:00 às 21:00 horas. Domingos das 10:00 às 19:00 horas. As 3ª feira fica fechado.

      site: http://www.museoreinasofia.es/

      Valor da entrada 6.00 euros e aos sábados após as 14h30 e domingo das 10h00 às 14h30 é gratuito.

    • Bus Turístico

      É uma boa para quem está com o tempo apertado, passa em todos os principais pontos turísticos, podendo descer e subir nos próximos ônibus.

     

    Como circular em Lisboa

    Metrô

    O metrô é uma excelente opção, pois leva você para praticamente todos os lugares.

     

    Onde comer

    All U can Eat, com 4 endereços na cidade

    1) Calle Teluan 20 quase esquina com del Carmem, perto da Plaza Puerto del Sol.

    2) Calle de la Montera 17.

    3) Calle Gran Via 45

    4) Avenida Reina Victoria, 2

    É um buffet que você come de tudo, incluindo sorvete, refrigerante, paella, pizza, frutas e muito mais por apenas 10 euros. É realmente a grande barbada de Madrid.

     


    Toledo

    Como chegar:

    Os trens rápidos (AVE) a Toledo saem de Madrid da estação Atocha e cumprem o trajeto em apenas meia hora. A estação de Toledo fica fora da cidade; logo à direita, na calçada, você vai encontrar um ponto de ônibus onde passam as linhas 61, 62 e 63, que levam à cidade murada. Desça na segunda parada, que é justamente na Praça Zocodover, onde você já pode pegar o seu mapinha no posto de informações turísticas. Ao comprar a passagem de ida (no site da Renfe), já compre a da volta; os trens do fim da tarde lotam logo, e voltando de ônibus leva-se o dobro do tempo. Chegue o mais cedo possível para pegar a cidade com poucos turistas. Ônibus de Madrid para Toledo saem da estação de metrô Plaza Elíptica(linha 6 do Metrô), e sai a cada meia hora. A passagem de ida e volta custa 8,41 euros.

    Ver a Santa Catedral

    Entrada grátis antes das 12h e depois das 16h e aos domingos, fora disso 5 euros. É uma visita imperdível, guarde pelo menos 2 horas para conhecer cada detalhe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *