Ilha Guaíba e Ilha Grande

Reservamos dois dias na semana para explorar mais um pedacinho do paraíso que existe na Costa Verde do Rio de Janeiro, um dia para a Ilha Guaíba e outro para algumas praias da Ilha Grande.

Ilha Guaíba

Muita gente não sabe, mais a Ilha Guaíba onde está localizado um terminal portuário e ferroviário da Empresa Vale S.A em Mangaratiba para transporte de minério de ferro, possui  praias paradisíacas, como as de Tapuã, Raposa e Tapera, praias selvagens e de natureza intacta ao seu dispor, para curtir, tirar belas fotos e relaxar. Esta última o nosso destino.

Chegamos de carro cedo ao centro do município de Mangaratiba, com mais um belo dia de sol e céu azul na Costa Verde do litoral sul do Rio de Janeiro. Depois de estacionarmos o carro seguimos para o cais, onde um taxi boat antecipadamente reservado nos esperava. Éramos 4 pessoas, porém a pequena embarcação acomodava um total de 9. Tirando os 2 tripulantes, o Zé e seu filho Ruan, o barco era exclusivamente nosso. Já no começo o “capitão Zé” nos ensinou como usar o colete salva-vidas e o apito em caso de acidente. Sempre atenciosos e prestativos, rapidamente estávamos super à vontade.

Na Ilha Guaíba, optamos por ficar na Praia da Tapera, que por sua localização privilegiada possui águas calmas e muita tranquilidade para adultos e crianças. Fomos os primeiros a chegar nesta linda praia e já deixamos marcado com o barqueiro Zé a hora de retorno. Uma das coisas que eu sempre me impressiono é com a cor das águas dessa região. O verde esmeralda e a transparência das águas são incríveis. Com uma grande faixa de areia e com bastante vegetação ao redor, criando assim muitos lugares com sombras naturais perfeitas para se abrigar do sol escaldante do dia. Havia também algumas pedras nos cantos dando aquele “toque de paraíso”. Aos poucos outros barcos foram chegando. Depois de curtir muito esse paraíso, retornamos ao continente, porém antes, realizamos um passeio de barco em toda volta da ilha, passando por belos lugares como as praias de Tapuã e Raposa e por algumas enseadas e ainda por lugares interessantes como o Terminal da Vale S. A, com imensos navios cargueiros atracados. Cabe ressaltar aqui um fato negativo presenciado por nós na maravilhosa Praia da Tapera na costa verde. A grande quantidade de lixo deixado embaixo das árvores pelos frequentadores do local.

Ilha Grande

No dia seguinte passeamos pela Ilha Grande, um dos ícones da costa verde, que pertence ao Município de Angra dos reis. Pegamos uma embarcação no cais de Conceição do Jacareí e seguimos direto para a Lagoa Azul,  uma piscina natural com fundo arenoso, algumas rochas e água cristalina, predominantemente azul, localizada entre duas ilhotas na importante região histórica da Freguesia de Santana.

A região é belíssima com recantos dignos de chamarmos de paraíso. Lagoa Azul, apelido turístico inspirado no clássico do cinema dos anos 80 com a atriz Brooke Shieldes, é um ponto turístico dos mais badalados da Ilha GrandeAs embarcações ficam ancoradas e os visitantes podem descer para nadar, flutuar com “macarrões” (flutuadores de espuma) fornecidos pelas tripulações, praticar snorkel ou alimentar os peixinhos “sargentinhos” com miolo de pão. No alto verão, a região fica lotada de lanchas, veleiros, escunas.

Dalí seguimos para a Praia de Japariz, parada obrigatória para os turistas dos passeios de escuna e lanchas que permanecem de 1 hora a 1h30 minutos nesta praia para almoçarem nos seus restaurantes à beira-mar, com cardápio variado e muitas opções de frutos do mar. À sombra das amendoeiras, você poderá almoçar e ainda curtir o visual do mar. A Praia de Japariz, é habitada por uma pequena comunidade de pescadores e, não está entre as mais belas ou procuradas por banhistas, mas é uma das melhores opções na Ilha Grande para o almoço.

Após o almoço seguimos para a Praia da Freguesia de Santana, foi nesta península que no século XVII teve o inicio do povoamento da Ilha Grande, pois era o centro de desenvolvimento econômico da Ilha. Região agrícola com grande lavouras de café, legumes e cereais, além de engenhos de açúcar e aguardente, foi muito habitada no passado e pouco habitada atualmente.


Hoje é um destacado ponto turístico da a Ilha Grande, restando da grandeza e prosperidade deste povoado apenas à secular Igreja de Santana, construída em 1843, que é o mais importante monumento religioso da Ilha Grande e que vem resistindo bravamente aos tempos, um cemitério abandonado e as inúmeras ruínas de casarões e senzalas. Por ser uma propriedade particular, sua visitação está restrita às areias da praia, ao entorno da igreja e as trilhas da região. Apesar disto, o passeio vale a pena, não só pela beleza da igreja, mas pela tranquilidade do local.

É uma praia muito bonita e agradável, suas águas são cristalinas e tranquilas, possui uma faixa de 300m de areia, com várias palmeiras da época do Brasil império.

Finalizando seguimos para a última parada, a praia da Baleia, um maravilhoso recanto localizado pertinho da Praia da Freguesia. Na verdade é composta por duas pequenas faixas de areia separadas por alguns rochedos.  Apesar das pedras, tem espaço para um delicioso banho em suas águas transparentes e tranquilas. . É deserta e assim como na maior parte das praias da região, essa também é repleta de vegetação nativa preservada. Uma boa dica é que o visitante leve alimentos e bebidas, lembrando de levar consigo o lixo produzido. Com o sol se pondo chegamos ao cais de Conceição de Jacareí.

DICAS

Preço do taxi bolt saindo do Centro de Mangaratiba até a Ilha Guaiba, R$ 30,00 por pessoa.

– Preço do passeio de escuna para a Ilha Grande saindo de Conceição de Jacareí, R$ 75,00 por pessoa.

– Os passeios de escuna, barcos e lanchas fazem sempre parada na Praia de Japariz para almoço nos restaurantes, permanecendo na praia por cerca de 1 hora a 1,5 hora.

– Na Praia de Japariz há restaurantes com sistema self-service, além do serviço a la carte.

– Se tive tempo, aproveite 15 minutos da parada para almoço na Praia de Japariz  e de uma caminhada para conhecer a interessante praia do Funil, vizinha bem próxima.

– A igreja da Freguesia de Santana nem sempre estará aberta para visitação, é uma questão de “sorte”. Acontece todo fim de julho a festa de Santana que é organizada pelos moradores dos arredores.

Veja outros post da Costa Verde:

Travessia Laranjeiras x Ponta Negra x Cachoeira do Saco Bravo