Onze dias pelas Serras Gaúchas e Catarinenses - Tô Perambulando

Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Onze dias pelas Serras Gaúchas e Catarinenses

Urubici | São Joaquim | Bom Jardim da Serra | Cambará do Sul | Gramado | Canela Bento Gonçalves | Caxias do Sul

Como foi o nosso roteiro

Preparamos um roteiro para conhecer algumas das cidades Serranas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que principalmente no inverno, ficam lotadas de turistas em busca do frio e com um pouco de sorte, até neve. Nossa viagem começou no aeroporto de Florianópolis onde pegamos nosso carro previamente reservado pela RENTCARS e terminou no aeroporto de Porto Alegre onze dias e 2200 km rodados depois. No Percurso passamos por lugares incríveis como a famosa Serra do Rio do Rastro e a Serra do Corvo Branco, além de cidades como Urubici e São Joaquim em Santa Catarina e Cambará do Sul e Gramado no Rio Grande do Sul.

Nosso Roteiro

Quando ir

O inverno é a época mais procurada pelos viajantes para conhecer a região serrana de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, por motivos óbvios, o frio, geadas e a perspectiva de ver neve, cidades como Urubici, Urupema e São Joaquim costumam registrar as temperaturas mais baixas do país. Mas não é só o frio que atrai os turistas, a paisagem, formada por florestas de araucárias, vales, rios, cachoeiras e imensos cânions fazem a alegria dos turistas. Os gaúchos e catarinenses também costumam subir a serra nos finais de semana, fazendo a região fervilhar nessa época do ano.

Temperatura em Urubici.

Como se locomover

Ter um carro é essencial para se movimentar entre as cidades e suas atrações. No nosso caso, três casais, optamos por alugar um Doblò de sete lugares, que bem arrumado, coube as seis pessoas com suas bagagens. As distancias entre as cidades não são grandes e muitos passeios podem ser feito por conta própria.

Nosso carro coberto por uma camada fina de gelo

Gastronomia

Não é só o frio e a beleza que atraem as pessoas para a região serrana no Rio grande do sul e Santa Catarina, a gastronomia é uma atração a parte, não deixem de provar os pratos típico da região preparados em fogão à lenha, como o feijão-tropeiro, o arroz de carreteiro bem como as delícias preparadas com o fruto das araucárias, o pinhão. As águas geladas dos lagos e rios são propícias a criação de trutas, outro prato típico e bastante procurado, o peixe pode ser servido de várias maneiras, recheado com tomate, cebola e alcaparras, ou então com molho de amêndoas. Tudo isso regado a uma infinidade de bons vinhos produzidos na região. Outra bebida bem característica é o Chimarrão, feito com as folhas secas e trituradas da erva-mate, misturadas com água quente e servida em uma cuia especial.

Trutas com alcaparras, prato muito procurado na região serrana de Santa Catarina.

Onde ficar?

Nessa viagem usamos como base as cidades de Urubici, Lauro Muller, Cambará do Sul e Gramado, em todas fizemos reserva antecipadamente usando o Booking, com exceção de Lauro Muller que por circunstancia de viagem ficamos uma noite. A reserva antecipada deve ser considerada na alta temporada, fins de semana ou se tiver acontecendo algum evento especial, principalmente em cidades de grande procura como Gramado e Urubici. Nesses casos, a reserva antecipada pode acarretar em um bom desconto.

As cidades por onde andamos

Urubici

A cidade de Urubici fica localizada a cerca 170 km de Florianópolis no alto da Serra Catarinense a 915 metros de altitude. Para nós serviu como base para conhecer outras cidades próximas. Entre as atrações podemos destacar a Serra do Corvo Branco, o Morro do Campestre, local ideal para apreciar o por do sol e o Morro da Igreja, com 1.820 metros, lá foi registrada a temperatura mais baixa do país em 1996, 17,8 graus negativos.

Urupema

Fica a 52 km de Urubici e a 1.425 metros de altitude, é a mais alta do estado de Santa Catarina, é considerada uma das cidades mais frias do país. No inverno, é comum ver cachoeiras congeladas e a vegetação coberta de cristais de gelo devido as fortes geadas. O ponto mais alto da cidade é o Morro das Torres onde se tem uma vista privilegiada de toda a região.

Urupema vista do alto do Morro das Torres

São Joaquim

A partir de Urubici seguimos pela SC-110 por 60 Km até São Joaquim, a cidade é uma das mais procuradas da região serrana Catarinense no inverno, está para Santa Catarina como Gramado para o Rio Grande do Sul. A cidade fica a 1.350 metros e no inverno as temperaturas podem chegar a -10 graus e como as outras, podem ter ocorrência de neve e geada. Com esse frio um bom vinho é muito bem-vindo, principalmente se for de uma vinícola local, visitamos a Villa Francioni e fizemos uma visita guiada onde é explicado as etapas da produção do vinho, e é claro, com direito a degustação. Por conta do clima frio a cidade é também conhecida como produtora da melhor maçã do país.

Serras gauchas e catarinenses
Vinícola Villa Francioni

Bom Jardim da Serra

A 43 km de São Joaquim fica Bom Jardim da Serra, pequena cidade serrana catarinense, cuja principal atração é o Mirante da Serra do Rio do Rastro, um dos maiores cartões postais do estado, com suas matas e curvas fechadas, que em dias claros é possível avistar o mar a mais de 100 km de distancia. Pertinho do mirante fica a Cascata da Barrinha, a cachoeira é muito bonita e o acesso é bem fácil, no local tem um letreiro com o nome da cidade, vale a pena conhecer. Na cidade, na praça Jose Caetano Amaral, fica a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com uma arquitetura pouco comum.

Lauro Miller (Serra do Rio do Rastro) e Torres-RS

A ideia era sair de Bom jardim da Serra e ir até o Mirante da Serra do Rio do Rastro e retornar a cidade para pernoitar e descer a serra pela manhã seguindo em direção a Torres já no Rio Grande do Sul. Mais por causa de um denso nevoeiro, passamos direto do mirante e quando percebemos já estávamos descendo a serra. Resolvemos continuar com muito cuidado porque a visibilidade era quase nenhuma. Ao pé da serra fica a cidade de Lauro Muller, resolvemos ficar por lá, torcendo para que no dia seguinte o tempo estivesse bom para subirmos novamente a serra até o mirante e lá contemplar a beleza desse cartão postal com suas 284 curvas e subidas íngremes.

serras gauchas e catarinenses
Cartão postal de Santa Catarina, a famosa Serra do Rio do Rastro

Torres

Deixamos a região serrana de Santa Catarina e seguimos para as serras gaúcha, mas antes uma passadinha em Torres já no Rio Grande do Sul. Ué, a viagem não era pelas Serras Gaucha e Catarinense? Porque Torres, se a cidade fica no litoral? Dois motivos, o primeiro é que a estrada que liga Bom Jardim da Serra a Cambará do Sul não é asfaltada e o segundo era que pretendíamos descer a Serra do Rio do Rastro. E valeu a pena, a cidade fica a 150 km de Lauro Muller é famosa pelas enseadas e penhascos a beira mar. Até rolou um voo de paramotor para avistamento de baleias.

Cambará do Sul

De volta para a serra, seguimos por 130 km pelas BR-101 e BR-453 até Tainhas e de lá pela RS-020 até Cambará do Sul. Retornamos a cidade que conhecemos em 2014, entretanto naquela ocasião, por conta de muita chuvas, não aproveitamos tudo que a região podia oferecer (veja o post da nosso primeira visita clicando aqui). Mas o quê essa cidadezinha pacata tem a oferecer para ser tão visitada? Uma natureza exuberante. Cambará do Sul é a porta de entrada para os maiores cânions brasileiros o Itaimbezinho no Parque Nacional do Aparatos da Serra e o Fortaleza no Parque Nacional da Serra Geral o que torna a cidade ponto de encontro para aventureiros e amantes da natureza. Foram dois dias de muito sol e passeios incríveis.

Gramado & Canela

Gramado e Canela são tão próximas, cerca de 8 km, que até parecem uma única cidade. De Cambará do sul até lá, percorremos 113 km em pouco mais de 1h50min. Chegamos num sábado e no inicio do festival de cinema de Gramado e a cidade que já fica cheia nessa época, estava fervilhando de turistas. Ficamos quatro dias inteiros por lá e além de conhecer as suas atrações fizemos bate e volta a outras cidades próximas como Bento Gonçalves e Nova petrópolis.

serras gauchas e catarinenses
Gramado

Nova Petrópolis & Bento Gonçalves

Nova Petrópolis fica a 34 km de Gramado e 87 km depois chega-se a Bento Gonçalves. A primeira é cercada de flores por todos os lados, não é a toa que a cidade colonizada por alemães é carinhosamente chamada de Jardim da Serra Gaúcha. Dentre as atrações destaco o labirinto verde no centro da praça das flores. Chegar no centro é um desafio que atrai crianças e adultos.
Já Bento Gonçalves é conhecida como a capital brasileira do vinho, o vale dos vinhedos, o parque de aventuras Gasper e o famoso passeio de Maria Fumaça com musicas gaúcha e degustação de vinhos são destaques na cidade.

Em breve outros posts sobre essa viagem!

Gostou desse post? Então compartilha!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *