Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Gruta da Lapa Doce e Poço do Diabo

Dois locais imperdíveis da Chapada Diamantina

Poço do Diabo
Poço do Diabo

Gruta da Lapa Doce

A Gruta da Lapa Doce é a mais famosa das cavernas da Chapada Diamantina, possui 20 Km mapeados, sendo 850 metros abertos à visitação. A entrada da gruta mede 72 metros de altura e o maior salão possui 60 metros de largura. A visitação da Gruta da Lapa Doce é permitida com grupos pequenos, de no máximo 12 pessoas.

Gruta da Lapa Doce
Da esquerda para a direita, Fabiano, Fernando, Herbert, Simone, Valdir e Diego
Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

No roteiro que montamos (Ver o post “Onze dias pela Chapada Diamantina”) fizemos a Lapa Doce depois da Gruta da Pratinha já que ambas ficam no município de Iraquara.

Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

O complexo da Lapa Doce é um dos mais famosos do município, e é a terceira maior gruta do Brasil, formado pelas grutas denominadas Lapa I, II e III, possui somente dois percursos liberados a visitação, um com cerca de 850m e outro com um nível maior de dificuldade, com uso obrigatório de capacete e lanterna. Optamos pelo primeiro, pois nosso tempo estava um pouco apertado.

Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

Todos munidos de lanterna e lógico máquina fotográfica, realizamos uma trilha de aproximadamente 10 minutos para chegar até uma bela dolina onde existe uma gigantesca abertura para entrada da gruta. Em todo percurso fomos acompanhado por um guia local de nome Raimundo, que nos deu uma verdadeira aula sobre toda biodiversidade local e de grutas e cavernas.

Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

Entramos na gruta passando por salões gigantescos, sempre respeitando as sinalizações e andando na trilha marcada e observamos existência de inúmeras formações de estalactites, formações que pendem do teto da gruta pela consolidação do carbonato de cálcio e estalagmites, formações que se elevam no solo da gruta pela consolidação do mesmo carbonato que cai no chão. É comum também a presença de colunas, quando as estalactites e as estalagmites se encontram e de cortinas, além de outras formações exóticas e de rara beleza moldadas pela natureza ao longo dos anos, lembrando leão, anjo, seio, dinossauro, em tamanho natural, e até um presépio de formato rochoso, algumas apresentam tonalidade branca que contrastam com tons avermelhados da argila.

Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

Continuando nosso passeio chegarmos ao salão principal, que mede mais de 70m de altura e 60 metros de largura, o guia nos reservou uma surpresa, pediu a todos para apagar as lanternas, e aí ficamos na escuridão total em silêncio, sentimos uma incrível energia do lugar e ouvimos apenas o som de gotículas caindo no chão. Sinistro, hehehehe.
Concluindo o passeio da fácil e bonita trilha, chegamos ao final da outra abertura em aproximadamente 1 hora e 30 minutos.

Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce
Gruta da Lapa Doce

Como chegar

De Lençóis basta seguir pela BA-144 por cerca de 12km até o entroncamento com a BR-242, seguir por essa rodovia no sentido Iraquara, após encontrar uma bifurcação na estrada sentido Palmeiras ignore a mesma e siga sentido Seabra. Neste trecho terá uma entrada a direita com uma placa indicando as Grutas da Torrinha e Gruta da Lapa Doce, siga as placas até a Gruta da Lapa Doce.

Mapa_Lapa_Doce

Outras Dicas

  • O complexo da Gruta da Lapa Doce tem boa infraestrutura com banheiros e restaurante.
  • Se fizer a Gruta da Lapa Doce em conjunto com a Gruta da Pratinha, deixe para almoçar no restaurante da primeira, achamos bem melhor.
  • Restaurante na Lapa Doce: Almoço com buffet livre a R$25,00 p/pessoa.
  • O percurso de 850m é feito em aproximadamente 1:30h.
  • Entrada para visitar a Lapa Doce: R$ 25,00 p/pessoa já inclui o guia, capacete e lanterna.
  • Horário de funcionamento: 8:00 as 18:00 durante todo o ano
  • Não esqueça, preservar é sua obrigação, leve seu lixo de volta.

Poço do Diabo

Saímos da Gruta da Lapa Doce e na volta para Lençóis paramos o carro na beira da estrada num pequeno restaurante com a finalidade de aproveitar o finalzinho da tarde para conhecer as cachoeirinhas do Rio Mucugezinho e o Poço do Diabo. Este restaurante além de servir como base para este passeio é um ótimo lugar para degustar doces e comidas típicas, beber e comprar artesanato local.

Poço do Diabo (1)

Pegamos uma descida na trilha, passando por pequena ponte sobre o Rio Mucugezinho, por uma série de quedas de água, que são ótimas opções para banhos e alguns mirantes e após uns 20 minutos chegamos a Cachoeira do Poço do Diabo, onde paramos para um relaxante e revigorante banho em suas deliciosas águas, apesar de um pouco gelada. Hehehehehe. O Poço do Diabo é formado por uma bela cachoeira que cai de 5 metros formando um grande lago cuja profundidade varia de 2 a 4 metros.

Poço do Diabo (5)

Todos que visitam este poço perguntam qual o motivo de um lugar tão bonito ter esse nome. Dizem os guias da região que há muitos anos havia uma superstição em torno da poço de que quem caía na garganta da cachoeira só aparecia no dia seguinte. Por isso, o local começou a ser considerado maldito e ganhou esse nome. O fato de os corpos desaparecerem, de acordo com os guias, deve-se à alta concentração de ferro da água.

Poço do Diabo (2)

Neste local também em época de alta temperada é colocado um cabo a 18 m de altura com 70m de comprimento para realização de tirolesa e rapel numa pedra com 22 metros de altura.

Poço do Diabo (3)

Como chegar

De Lençóis basta seguir pela BA-144 por cerca de 12km até o entroncamento com a BR-242, seguir por essa rodovia no sentido Brasília por mais ou menos 7km. A Entrada é gratuita.

Esse post te ajudou? Dê sua opinião, escreva pra gente.

Veja também:

Onze dias pela Chapada Diamantina
Lençóis na Chapada Diamantina, porta de entrada para a aventura
Gruta da Pratinha, Gruta Azul e Morro do Pai Inácio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *