Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Onze dias pela Chapada Diamantina

Roteiro pelas principais atrações da Chapada Diamantina

Chapada Diamantina

Depois de 6 anos voltamos a Chapada Diamantina, desta vez para fazer o Trekking do Vale do Pati. Além disso voltamos a lugares espetaculares que estivemos na nossa última vez, como a Cachoeira da Fumaça, Cachoeira do Buracão e o Poço Azul. Foram onze dias de muita aventura em companhia de uma galera muito especial.

A Chapada Diamantina fica localizada no estado da Bahia e abrange 24 municípios, tendo Lençóis como porta de entrada para praticamente todos os seus atrativos, que na maioria das vezes, é realizado por meio de caminhada. Nela está inserido o Parque Nacional da Chapada Diamantina, guardião de muitas riquezas naturais, ocupando cerca de 152 mil hectares, um dos maiores parques de preservação do país fora da região Amazônica. Uma das principais atrações do parque é o trekking através do Vale do Pati, considerado por muitos o mais bonito do Brasil. Porém, este parque não concentra todos os atrativos da região, muitos outros estão localizados ao seu redor.

Com todos esses atributos, planejamos nosso roteiro com 11 dias, descrito abaixo, abrangendo os principais atrativos da região. Nesse roteiro incluímos o trekking do Vale do Pati, mas é lógico, se caminhar por longas distancia não for a sua praia, basta substitui-lo por outra atividade. Pelas próximas semanas falaremos sobre cada um desses atrativos.

1º dia: Morro do Pai Inácio

São 22 km do centro de Lençóis ao início da trilha do Morro do Pai Inácio pela BR-242. Cartão postal da Chapada Diamantina, do alto dos seus 1.150 m deste mirante natural, tem-se uma visão privilegiada de 360 graus da paisagem de toda a região. Avistando a Serra do Sincorá, a Serra da Bacia, a Serra da Chapadinha, entre outras. É um dos melhores lugares para se ver o pôr do sol na Chapada. Por questões de logística fizemos esse passeio na nossa chegada, mas ele pode ser realizado conjugado com as Grutas da Pratinha e Lapa Doce.

Clique aqui e veja esse post

Chapada Diamantina
Pôr do sol do alto do Pai Inácio

2º dia: Gruta da Pratinha, Gruta Azul, Lapa Doce e Poço do Diabo

Distante aproximadamente 80km de Lençóis, boa parte em estrada de barro, chega-se a fazenda Pratinha para visitar os complexos da Gruta da Pratinha e da Gruta Azul. Na Gruta da Pratinha descemos uma pequena trilha até um rio de água azul-clarinha, que brota de dentro da gruta e forma uma grande piscina natural. É possível alugar, mascaras, snorkel, colete e nadadeira para fazer flutuação na parte interna da gruta, sempre acompanhado de um guia.

Clique aqui e veja esse post

Chapada Diamantina
Gruta da Pratinha

Bem perto da Gruta da Pratinha, com acesso a pé, fica a Gruta Azul, um lago de águas transparentes que ganha tons azulados entre abril e setembro pela incidência de raios solares. O melhor horário para conhecê-la é das 14h30 às 15h30. Nessa gruta não é permitido banhos.

A Gruta da Lapa Doce é a mais famosa das cavernas da Chapada Diamantina, possui 20 Km mapeados, sendo 850 metros abertos à visitação. A entrada da gruta mede 72 metros de altura e o maior salão possui 60 metros de largura. A visitação da Gruta da Lapa Doce é permitida com grupos pequenos, de no máximo 12 pessoas.

Chapada Diamantina
Gruta da Lapa Doce

Na volta para Lençóis faça uma parada no balneário do rio Mucugezinho, é um passeio imperdível. Fica apenas 18km de Lençóis e mais uns 20 minutinhos de caminhada por uma trilha fácil, em meio a vegetação e pedras, até chegar ao lindo Poço do Diabo e sua cachoeira com uma queda de cerca de 20 metros de altura.

Chapada Diamantina
Poço do Diabo

3º dia: Trilha Lençóis – Pai Inácio – Morrão – Águas Claras – Vale do Capão

Deixamos Lençóis para fazer uma linda travessia de nível moderado com aproximadamente 16 Km, que vai da base do Morro do Pai Inácio, um dos atrativos mais famosos da Chapada Diamantina, até o Vale do Capão. Esta trilha é realizada em grande parte em terreno plano, com belos visuais de várias montanhas, e com parada para um refrescante e revigorante banho nas Águas Claras, uma pequena cachoeira de águas cristalinas na metade do caminho. Dormir no Vale do Capão ou Palmeiras.

Clique aqui e veja esse post

Chapada Diamantina
Águas Claras

4º dia: Cachoeira da Fumaça

Saída de carro em direção ao Vale do Capão, até uma das entradas do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Uma caminhada de 12 Km (ida e volta), considerada semi-pesada, que leva até o topo da Cachoeira da Fumaça com seus impressionantes 385m de queda livre, a segunda maior Cachoeira do Brasil. Durante a caminhada, vista privilegiada do Vale do Capão e do Morrão. Retorno pelo mesmo caminho até o carro, depois seguir em direção ao Povoado de Guiné, com opção de parada para um refrescante banho na Cachoeira do Riachinho.

Clique aqui e veja esse post

Chapada Diamantina
Cachoeira da Fumaça

5º ao 9º dia: Trekking no Vale do Pati e Poço Azul

A travessia do Vale do Pati possui 3 vias de acesso para começo e término: Vale do Capão, povoado do Guiné e Andaraí. Optamos realizá-la em 5 dias, porém também pode ser realizada em 3 ou 4 dias. Tem como principais atrativos o Gerais do Vieira, Rampa do “Quebra -bunda”, Gerais do Rio Preto, Mirante da Igrejinha, Morro do Castelo, Cachoeira do Funil, Cachoeirão, Cachoeira do Calixto e Ladeira do Império, que serão visitados conforme a logística de cada passeio.

Clique aqui para ver esse post

Chapada Diamantina
Trekking no Vale do Pati

Este é considerado o trekking mais bonito do Brasil, porém para realizá-lo é preciso muita disposição física e determinação, pois foram quase 120 Km percorridos por nosso grupo nesses dias, caracterizados por longos trechos planos, mas com alguns momentos de subidas e descidas íngremes e passagens por leitos de rios. Nos sentimos pequenos diante de incríveis e belas paisagens que surgiam a cada momento diante de nossos olhos, como deslumbrantes e enormes montanhas, rios cristalinos, cachoeiras exuberantes que nos fizeram compreender e admirar a magnitude da natureza local. Percebemos a simplicidade da vida dos nativos moradores no Vale do Pati, que nos fez refletir sobre o significado real do nosso modo de viver. Sentimos essa emoção e contemplamos as paisagens mais bonitas da Chapada Diamantina, pois as experiências vividas durante estes dias, serão únicas e com certeza não sairão de nossa memória por muito tempo.

Chapada Diamantina
Casa da Dona Lê, nossa primeira parada.

Em Andaraí, fechamos a travessia com chave de ouro com um gostoso mergulho no Poço Azul e depois seguimos para o pernoite em Mucugê.

Chapada Diamantina
Poço azul

10º dia: Buracão

A Cachoeira do Buracão, é uma das mais lindas do Brasil e uma das mais visitadas de toda Chapada Diamantina. Com 90 metros de queda e um canyon sinuoso não encontrado em nenhum outro lugar do mundo, define sua magnífica beleza. Para chegar até este paraíso pecorremos de carro aproximadamente 100km a partir de Mucugê, que é a melhor opção de hospedagem para quem quer ir à Cachoeira do Buracão. No asfalto até a cidade de Ibicoara foram 70 km e mais 30km em estrada de terra do centro de Ibicoara até o estacionamento, onde começa a trilha e mais de 1 hora de numa caminhada de 3 km margeando o Rio Espalhado até a cachoeira. Em Ibicoara é preciso contratar um guia da associação local.
Se a saída for de Lençóis, temos uma viagem de 220 km até o município de Ibicoara, percorridos em aproximadamente 3 horas.

Dica: Pernoitando em Mucugê pode fazer um roteiro conjugado entre a Cachoeira do Buracão o Poço Encantado e Poço Azul.

Clique aqui para ver esse post

Chapada Diamantina
Cachoeira do Buracão por cima

11º dia: Último dia-Lençóis

Aproveitamos a parte da manhã para curtir a bucólica e ao mesmo tempo cosmopolita Lençóis. É uma linda cidade histórica com grande vocação turística, por possuir a maior infraestrutura da região, com aeroporto, inúmeras opções de hospedagem, alimentação e agências de turismo.

Leia mais […]

Chapada Diamantina
Lençóis

DICAS SOBRE A CHAPADA

Quando ir à Chapada Diamantina

Não existe época desaconselhável para a Chapada. As chuvas de verão (novembro a janeiro) podem encharcar as trilhas, mas deixam as cachoeiras mais caudalosas. Entre março e maio, passadas as chuvas de verão, você vai encontrar a Chapada mais verde; e entre maio e setembro, dificilmente vai pegar alguma chuva. O meio do ano, entre maio e setembro, é também a época em que, nos dias claros, as grutas Azul, do Poço Azul e do Poço Encantado recebem a incidência de raios de sol que deixam suas águas azuladas.

O que levar

  • Tênis ou bota para caminhadas
  • Casaco e calça para as noites frias
  • Roupa leve para caminhada
  • Chinelo ou sandália
  • Chapéu ou boné
  • Roupa de banho
  • Toalha
  • Capa de chuva
  • Protetor solar
  • Óculos de sol
  • Repelente
  • Garrafa de água ou cantil
  • Mochila
  • Lanterna e pilhas extras
  • Remédios e itens pessoais indispensáveis

Outras Informações

  • Telefonia: Código do Brasil: 55, Código de área: Lençóis: 75
  • Celular: Lençóis possui o sinal das quatro operadoras que atuam no país
  • Voltagem; 220 volts
  • Dinheiro: As bandeiras dos cartões mais aceitos nos estabelecimentos locais são Visa e Mastercard, mas fique atento, pois muitos lugares ainda não trabalham com cartão de crédito ou débito. Nesse caso, a melhor alternativa é estar com dinheiro em espécie ou talão de cheques – com aceitação também limitada. Lençóis possui agência do Banco do Brasil e postos de atendimento Bradesco e CEF.

Operadora de Turismo

Muitos passeios podem ser feitos sem Guia, mas como as distâncias a percorrer são grande, será necessário alugar um carro. Para o trekking no Vale do Pati será necessário a contratação de uma operadora ou um Guia experiente. Sugerimos a operadora Terra Chapada, usamos os seus serviços na primeira vez que estivemos na Chapada para fazer a Volta ao Parque e fizemos o trekking com eles, gostamos muito, os guias são experiente e atenciosos e a logística foi perfeita.

Mapa da Chapada Diamantina

Chapada Diamantina
Mapa da Chapada Diamantina

Gostou? Escreva pra gente dando a sua opinião.

Veja também:

Lençóis na Chapada Diamantina, porta de entrada para a aventura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *