Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Lucerna, passeio de um dia na mais bela cidade da Suíça

Vinte e três dias perambulando pela Europa

Lucerna
Lucerna

Perambulando pela Europa – 19º Dia: Lucerna – Suiça

Lucerna me encantou! Era para ser somente uma breve passada pela Suíça a caminho de Paris, mas as pouco mais de 24 horas que passamos por lá nos surpreendeu. Lucerna fica localizada entre as margens de um grande lago e as montanhas Rigi e Pilatus que forma um cenário surpreendente de rara beleza, não é à toa que Lucerna é considerada a mais bela cidade da Suíça.
Deixamos a cidade de Milão e pegamos a super bem sinalizada autoestrada A2 em direção à Suíça. O visual que a estrada oferece justifica os quase 250 km e 3 horas de viagem até Lucerna. Passamos próximo a cidade de “Como” onde observamos o grande e belo lago que leva o nome da cidade e continuamos olhando a bela paisagem de várias cidadezinhas localizadas entre o rio Corso e o rio de Luzerne e dos Alpes suíços onde há uma grande atração, a Galeria de Saint Gottardo. A Passagem pelo terceiro maior túnel rodoviário do mundo com quase 17 km de extensão, o maior é o Túnel de Laerdal na Noruega com 24,5 km, Causa uma certa tensão, afinal são aproximadamente 30 minutos que se leva para ultrapassá-lo por completo. Porém com um grave acidente ocorrido em outubro de 2001 no interior do túnel, quando houve a colisão de dois caminhões ocasionando a morte de onze pessoas, motivando o fechamento do túnel por dois meses para reparos e limpeza, novas tecnicas de engenharia associada ao uso de alta tecnologia foram implantadas para prevenção de acidentes e tranquilidade, principalmente para qualquer claustrofóbico. Foram instalados sinais luminosos por todos os lados, além de equipamentos de combate a poluição do ar, deixando o ambiente totalmente ausente de monóxido de carbono, fazendo com que essa passagem seja um grande atrativo para o viajante e não uma travessia apreensiva.

Outro aspecto que faz valer muito a pena é a sensação que se tem ao ver da estrada o deslumbrante visual dos Alpes, mesmo que ainda pelo fato de ser início de outono e haja poucos picos com neve. Mas o que importa mesmo é ver a imponência das montanhas e as pequenas cachoeiras formadas pelo degelo que descem em direção aos vales criando vários riachos, que mais além se juntam para formar rios importantes para toda Europa. Outro fato que também nos deixou muito ligado foi o de observar os trens, ora serpenteando rios, ora passando por grandes desfiladeiros nas altas montanhas ou sobre enormes pontilhões desafiando a gravidade, ou até mesmo atravessando túneis, deixando a todos perplexos devido à sua alta velocidade dos mesmos, nenhuma fotografia conseguimos tirar, pois não dava tempo!!! Tudo é realmente fantástico e indescritível.

Entramos em território suíço, e as paisagens da suiça são realmente lindissimas, muito bucolismo em seus campos floridos, plantações de cerejeiras, o gado nas pastagens e suas pequenas vilas encrustadas nas colinas com belíssimas casas de campos.
Continuando a viagem passamos por um trecho de serra, onde obtemos uma linda visão da cidade de Lugano, emoldurada pelo grande lago de nome Quatro Cantões. Infelizmente para tristeza de todos chegamos sob chuva a Vitznau, uma pequena e charmosa cidadezinha suíça, situada numa baía idílica do Lago de Lucerna e no pé do Rigi. Esta cidadezinha é destino turístico na Suíça Central e ponto de partida para muitas excursões populares na região do lago, e é claro a casa da famosa montanha.
Após descer do ônibus, pegamos um bondinho panorâmico que nos deixou no alto do Monte Rigi. Mesmo debaixo de chuva realizamos uma pequena caminhada de quase 1 km até um restaurante na montanha, onde saboreamos um prato típico da culinária alemã, acompanhado de fondue de queijo, regado a muito vinho. Apesar de ser final de verão, fazia um frio intenso no alto da colina e uma névoa dava uma ligeira sensação de estarmos em pleno inverno alpino. Após o excelente almoço voltamos pelo mesmo caminho, agora com uma pequena trégua na neblina e assim pudemos desfrutar uma bela vista panorâmica dos Alpes, do lago e da cidade lá embaixo.
Nas montanhas ao redor encontra-se para os amantes do trekking uma rede de trilhas com mais de cem quilômetros, além disso, a Rigi com 1800 metros de altitude é conhecida também pela sua abundante flora alpina com mais de 1000 variedades. A Rainha das Montanhas, como também é conhecida a Rigi, possui uma fortaleza que foi construída durante a 2ª Guerra Mundial, e que desde 1998, ano em que terminou o seu compromisso militar, os visitantes podem descobrir, acompanhado por um guia, as cavernas, a casa de munição, galerias, casamatas, abrigos ou até mesmo passar uma noite no primeiro hotel da fortaleza suíça.

Descemos a montanha e na vila pegamos um ônibus local que nos levou para outra encantadora cidade de nome Weggis, uma cidade que apresentou suas casas suíças, cujas características sempre levam em consideração a preservação da cultura, da geografia, da história e das tradições. Esta cidade ganhou notoriedade por hospedar a seleção brasileira de futebol na preparação para a copa do mundo de 2006 realizada na Alemanha.
Depois de um pequeno passeio pela cidade, seguimos para o cais do lago onde um barco nos levou até Lucerna. Neste passeio navegamos nas águas límpidas do Lago Lucerna, localizado entre os Montes Pilatus e Rigi. É um lago tipo fiorde com 113,6 km² situado a 433 metros acima do nível do mar, com uma profundidade máxima de 214 metros. O lago é de uma beleza impar e as paisagens são realmente inesquecíveis, principalmente a da grandiosidade dos Alpes. Após o barco parar em duas pequenas cidadelas, finalmente deslumbramos o belo Cantão de Lucerna, uma cidade digna de um cenário de cinema, onde chegamos por volta das 16h local.

Começamos a visita pela cidade logo após desembarcar e pudemos observar a bela estação de trem e o Centro de Convenções e Cultura de Lucerna. A cidade é maravilhosa e encantadora, extremamente limpa, e a melhor maneira de conhecê-la é andando a pé através das ruas, observando toda a beleza da cidade, com suas construções antigas que preservam toda sua história. Na cidade encontram-se numerosas lojas e butiques, com ofertas elegantes e preços atraentes.
Lucerna é também mundialmente conhecida pelas relojoarias, joalherias e casas de chocolates ao redor da Praça dos Cisnes (Schwanenplatz). Entramos na joalheria Bucherer, uma das mais importantes da Suiça, nem todos compraram joias nela, mas todos ganharam uma linda colher como brinde pela visita, hehehehe.
Continuamos as compras nas ruas adjacentes, relógios e muitos, mais muitos chocolates foram comprados pela galera. A formação de Lucerna está diretamente relacionada as pontes e devido a abundância de água, em 1168 foi construída a primeira das pontes, quando a cidade ainda era uma aldeia de pescadores, por este motivo a cidade foi por muito tempo conhecida como a Veneza suíça.
Enquanto parte continuava nas compras, outra parte seguiu em direção à florida Kappelbrücke, ou Ponte da Capela, antiga ponte de madeira, construída em 1333, com 204 metros de extensão sob o rio Reuss, ligando a Cidade Velha com a Cidade Nova, que na primavera e no verão, explodem em flores de cores diversificadas realçando sua beleza medieval. Sendo uma das mais antigas da Europa, foi edificada com a finalidade de ajudar na defesa da cidade e em seu interior encontram-se 111 pinturas do século XVII, restauradas no século XX. Estas pinturas ilustrativas servem para adornar a passagem, pois contam lendas, combates e histórias referentes à cidade, além de mostrar o brasão da família que financiava a obra. Em 1993, ocorreu um incêndio na ponte, e dos 111 painéis, 81 pegaram fogo e ficaram totalmente danificados, restando intactos somente os que estavam mais nas extremidades da ponte. Em algumas partes os painéis foram retirados para restauração. No meio da ponte há a Wasserturm, a torre de água, que já serviu de prisão, câmara de tortura, torre de observação e arquivo municipal.

Lucerna foi uma cidade murada e boa parte de suas muralhas ainda estão intactas, dizem ser imperdível uma visita a este monumento, não fizemos por falta de tempo, mas ver os resquícios da Muralha Museggmauer construída em 1386 para delimitar e proteger a cidade, é um passeio pela história de Lucerna. Há ainda hoje 870 metros delas, e três torres de observação, além das 9 construídas inicialmente que podem ser visitadas. Em uma está o relógio mais antigo da cidade, construído em 1535. Ao ouvir suas badaladas, não pense que seu relógio está atrasado: sua peculiaridade é justamente a de tocar um minuto antes de todos os outros de Lucerna. Uma caminhada no alto da muralha é uma ótima oportunidade para apreciar uma bela vista da cidade.

Como a noite já começava dar sinais, seguimos para o hotel, pois no dia seguinte seguiríamos bem cedo para Paris e foi assim que terminou o nosso dia na encantadora e acolhedora Lucerna.

Considerações finais

A cidade reserva aos visitantes passeios de tirar o fôlego de qualquer um, ora pela beleza, ora pela ousadia. Por mais corajoso que seja o visitante, impossível evitar o friozinho na barriga ao encarar mais de 2 mil metros de altitude ao visitar o Monte Pilatus, cujo topo permanece coberto de neve o ano inteiro. Outras montanhas como o Rigi e Stanserhorn, são ideais para passeios e também são acessíveis por teleféricos, proporcionando aos turistas visões panorâmicas das regiões em torno de Lucerna que mais parecem verdadeiras fotografias retocadas. A beleza cênica do lago também pode ser descoberta nos muitos diferentes passeios proporcionados por barcos a vapor com rodas de pás e embarcações a motor. Uma boa caminhada às margens do Lago Lucerna também é um passeio imperdível e cheio de surpresas, que além das belezas naturais, encontramos a cada passo deliciosas casas de chocolates suíços, que são um tentação, impossível de resistir e de adquirir mais uns quilinhos, hehehehe.

Como está na parte Alemã da Suíça, a língua oficial de Lucerna é o alemão, mas todo mundo fala Inglês super bem e até o portunhol, rsss, deu para se virar tranquilamente.

Por ser um país pequeno e contemplado por uma eficiente rede ferroviária, a Suíça permite que seus visitantes possam aproveitar várias cidades numa única viagem, ainda que esta seja curta. Um desses recantos facilmente atingíveis é a charmosa Lucerna, uma pequenina cidade onde o tempo parece ter parado. A apenas 45 minutos de Zurique, o turista conhece uma outra faceta do país ao desembarcar do trem e conhecer suas ruas estreitas, gente andando a pé, crianças alimentando no lago os gansos. Tudo emoldurado pelos imponentes e alvos alpes suíços.

Lucerna é, verdadeiramente, uma das cidades mais lindas que conhecemos e embora pequena é grande em encanto e merece sem dúvida uma visita. Um dia é suficiente para visitar toda a cidade, todavia se quiser também conhecer os Alpes e passear pelo lago, o ideal é ficar, no mínimo dois dias. Então até qualquer dia Lucerna, com certeza voltaremos.

Veja as Fotos

As dicas para quem vai a Lucerna

O que fazer

Cantão de Lucerna

O Cantão de Lucerna é um destino perfeito para as férias, tem os Alpes, e tem uma importante rota de trens e automóveis entre a Alemanha e a Itália.

montanhas de Lucerna

A mais impressionante das montanhas de Lucerna é o Monte Titlis, que oferece neve ou pelo menos gelo o ano inteiro (45 minutos de trem a Engelberg + 45 minutos em vários bondinhos). Mais perto, mas com neve garantida só no inverno, estão o Monte Pilatus (no verão, 20 min. de trem ou 50 min. de barco a Alpnachstad, então 30 min de funicular; no inverno, 15 min. de ônibus nº1/Kriens a Linden Pilatus,então dois teleféricos) e o Monte Rigi, cujo forte são as vistas para os lagos (25 minutos de trem a Arth-Goldau, depois mais 45 minutos de trem ao cume do Rigi).

Bate-voltas

O tour pelo Lago Lucerna é imperdível; não querendo fazer a volta inteira, vá até Vitznau (50 min) e na volta pare em Weggis. Outras boas pedidas são Berna (1h), Basiléia (1h) ou, num dia puxado, Interlaken, para fazer o circuito completo da Jungfraubahn (2 horas de trem + 5 a 6 horas de circuito).

Onde ficar

Hotel Goldener Stern

Localizado atrás da Igreja Jesuíta, próximo a tudo, quarto muito simples porém limpo.

Outras Dicas

  • Uma super dica para a noite é dar um pulinho no Grand Casino Luzern , ao lado do Grand Hotel National.
  • Tax Free
    Como a Suiça não faz parte da zona do Euro a solicitação de devolução do imposto deve ser feita na saida do país.
  • Cambio
    O Euro é praticamente aceito em todos os lugares, o unico problema é se o seu troco for muito grande, você pode recebê-lo em Franco Suiço. Portanto evite notas de grande valor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *