Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Milão – Perambulando pela Europa

A catedral de Milão, a Galleria Vittorio Emanuele e o Teatro Alla Scala.

Milao_650x120

18º Dia – Continuação: Milão – Itália

Milao7

Milao3

Milao1

Milao5

Milao2

Saímos de Verona e retornamos a Autoestrada A4, almoçamos em um dos restaurantes na própria rodovia e seguimos para Milão, passando Brescia e Bérgamo, percorremos 162 Km em 1:40h. Quase todo turista que vem passear na Itália, ignora Milão, é certo que a capital da Lombardia não possui o charme da região da Toscana, nem a magia e o romantismo de Veneza e tampouco a história milenar de Roma, porém a cidade tem muitas atrações, e algumas das mais interessantes são a catedral(Duomo di Milano), a Galleria Vittorio Emanuele e o Teatro Alla Scala. Começamos nosso tour pelo principal cartão postal da cidade, a Piazza del Duomo com sua imensa catedral, que mede 157m de comprimento por 109m de largura, e uma altura interior que chega à 45m, é uma das maiores em estilo gótico da Europa. Sua construção começou em 1386 incentivada por Napoleão e foi concluída somente em 1813, portanto levou mais de 400 anos para ser concluída.

Ali na praça da catedral, estão outras duas atrações turísticas da cidade: A Galleria Vittorio Emanuele e o Palacio Real. Seguimos para outro cartão postal, a bela Galleria Vitorio Emanuele, construída em 1864 com uma estrutura de metal e vidro cobrindo parte da rua e com suas lindas lojas, é considerada o 1º shopping do mundo. Foi projetada por Giuseppe Mengoni e nomeada em homenagem a Vittorio Emanuele, o primeiro Rei da Italia Unificada. A galeria faz a conexão da praça do duomo com a praça do Teatro Scalla e conta com alguns dos restaurantes e cafés mais antigos e tradicionais da Itália como Biffi Caffè, fundado em 1867 e ainda marcam presença as principais e mais prestigiadas lojas de moda de vanguarda Italiana.

O Palácio Real de Milão situado à direita da fachada do Duomo, em posição oposta à famosa Galleria Vitorio Emanuele.foi por muitos séculos a sede administrativa e residência real da cidade, sendo atualmente um importante centro cultural, sediando mostras e exposições. Sua fachada segue as linhas de um antigo pátio, formando uma entrada referente à Piazza del Duomo, chamada piazzetta reale. Cabe destacar a Sala delle Cariatidi no piso nobre do palácio, ocupando o lugar do antigo teatro, incendiado em 1776, é o único ambiente da edificação que sobreviveu ao massivo bombardeio da cidade em 1943, durante o qual se perderam os interiores neoclássicos.

Depois do lado oposto do Duomo, cruzando a Galeria visitamos o Teatro Alla Scala, que foi inaugurado em 1778 e é sem sombra de duvidas uma das principais casas de Opera e Teatro do mundo, dizem ser imperdível assistir a um espetáculo no Scala quando suas portas são abertas durante o inverno Milanes, continua sendo um dos eventos sociais mais marcantes no calendário da cidade, foi nele que Verdi começou sua carreira como compositor.

Outros atrativos da cidade que merecem uma visita são o Castelo de Sforzesco, construído no século XV, no lado oeste da cidade, foi um dos principais palácios da Europa durante a idade media, pois era a sede e residência da familia Sforza, que dominavam o Ducado de Milão durante os séculos da Italia pre-unificação. O castelo, que na verdade é um conjunto de fortalezas, com torres e muralhas, uma linda fonte, e uma história realmente impressionante, ainda está super bem conservado, tanto na parte externa, quanto na interna. Atualmente serve como um Museu e Galeria de Arte de vários renomados artistas, inclusive com exposição da famosa escultura “Pietá Rondanini”, que foi a ultima obra feita por Michelangelo, que morreu enquanto entalhava o mármore, acredita-se que de infarto, e que por este motivo a escultura permanece incompleta ate hoje. O castelo por si só já é uma obra de arte. A apenas alguns minutos de distancia do Castelo esta uma das mais bonitas igrejas do período renascentista milanês, a Igreja Santa Maria delle Grazie construída entre 1466 e 1490, com seu magnífico e muito lindo afresco “A Ultima Ceia”, pintado por Leonardo Da Vinci em 1494. Durante os bombardeios da segunda guerra mundial algumas paredes desse antigo monastério foram destruídas, porém a parede onde fica a “Ultima Ceia” foi a única parte da Igreja a permanecer de pé, dizem que isto aconteceu devido aos monges que ali se isolavam, que a protegeram com sacos de areia, mas mesmo assim a parede foi muito danificada. Infelizmente décadas se passaram para que esse delicado afresco fosse finalmente restaurado, mas justamente por causa de sua importância historica e artística, essa relíquia atualmente é super protegida pela igreja com alta tecnologia.

A Pinacoteca de Brera, contém uma das mais importantes coleções de arte italiana. O prédio foi erguido no século 17 e as obras que se concentraram neste local foram confiscadas de coleções públicas e privadas por ordem de Napoleão. O Cemitério Monumental de Milão apesar de não ser uma atração turística comum, também merece uma visita, pois nele se encontram os túmulos de grandes personagens da história italiana, sendo considerado o maior monumento de arte funerária do mundo depois das pirâmides.

Considerações finais

Milão com 4,5 milhões de habitantes é desde a Idade Média, um grande centro comercial, industrial e financeiro da Europa e centro econômico da Itália. A cidade é famosa como capital da moda, artes e design, possui luxuosos hotéis, restaurantes maravilhosos, lojas incríveis e outlets imperdíveis, o que geralmente vem associado a preços elevados, pouco atraentes para turistas. Mesmo assim, a cidade é elegante, chique e agitada e quem souber escolher o lugar certo, vai descobrir coisas boas a preços aceitáveis. Tradicionais lojas de departamento com boas promoções podem ser encontradas ao longo da Corso Buenos Aires e Via Dante, sendo a La Rinascente a mais famosa da cidade, com oito andares onde se encontra praticamente tudo.

Apesar de não possuir tanto potencial turístico, não se engane, sabendo onde ir e o que fazer na cidade não se perde muito tempo. Milão tem cenários incríveis, que transbordam cultura, historia e arte, e não são necessárias vários dias para conhecer toda cidade, apesar de ser uma cidade grande é calma, tem muito menos turistas que Roma, é gostoso andar nas muitas ruas de pedestres, apreciar esculturas e lojas lindas, sentar num daqueles cafés transados curtindo a elegância dos milaneses.

O Duomo é imperdível, imponente de dia e linda à noite, é o ponto de encontro da galera, é para lá que todo mundo vai. Assim como algumas outras catedrais da Itália, a parte externa do Duomo di Milano é muito mais bonita do que a interna, pois mais de 3000 imagens e esculturas cobrem praticamente toda a superfície da Igreja. Imperdível também é O Teatro Scala, um dos mais conhecidos templos da arte lírica no mundo, é mais famoso do que bonito. Não deixe de conhecer também Brera, um dos bairros mais transados de Milão, cheio de glamour possuindo uma atmosfera parisiense, com os seus artistas, galerias de artes, cafés ao ar livre e lojas exclusivas. Não muito longe da Via della Spiga e Via Montenpoleone é onde se encontra a universidade de Belas Artes. Esta área, que poderia ser descrita como ” boêmia de luxo” inclui a Via Brera, Via Solferino, Via Pontaccio, Corso Garibaldi e Corso Como. Também há muitos palácios do século XVIII incluindo o Palazzo Brera, que no número 28 da Corso Como abriga a famosa Pinacoteca. É um dos lugares indicados pra fazer um bom happy hour/aperitivo e ver muita gente bonita.

Que Milão não tem muito ponto turístico como Roma ou Florença, todo mundo sabe. Que não é uma cidade rica em Monumentos pois foi muito castigada durante a Segunda Guerra Mundial, sendo destruída e perdendo muitas riquezas históricas, todo mundo também sabe, mas é rica em cultura, oferecendo ótimos museus, lindos pátios de prédios e espetaculares edifícios. E por isso que muita gente também sabe que Milão foi feita para fazer compras. Além das mega marcas, também tem atrações para bolsos mais comedidos. Começando pelas lojas de marca, o melhor lugar para ir é o Quadrilátero Milanês, que abrange a Via Montenapoleone, Via della Spiga, Via Sant´Andrea e Via Manzoni. Para chegar lá é bem fácil, basta descer na parada “Montenapoleone” da linha amarela do metrô. Ali estão lojas enormes e maravilhosas das melhores marcas do mundo. A Via della Spiga além de muitas lojas é muito charmosa e uma gracinha.

Deixamos a Itália com a deliciosa sensação que voltaremos um dia, isto por dois motivos, primeiro porque em Roma jogamos nossa moedinha na Fontana de Trevi, e quem joga volta, hehehe, e segundo por queremos explorar mais este país que possui diversas regiões lindas e com características tão distintas que cada uma delas poderia ser um belo país que não pudemos conhecer.

Texto: Valdir Neves

Este Post é parte de uma viagem pela Europa, acesse aqui os outros:

Veja as Fotos

As dicas para quem vai a Milão

O que fazer

Catedral de Duomo

A entrada na igreja é grátis, mas se quiser visitar a torre de escadas ou elevador tem que pagar. Se o dia estiver ensolarado e límpido, vale a pena dar uma subida para apreciar uma super vista do centro da cidade. Não é permitido ingresso para quem está vestido com bermuda curta ou blusa sem manga.

Galeria Vittorio Emanuelle II

Ao lado da Duomo se encontra a Galeria Vittorio Emanuelle, construída com a ideia de permitir uma passagem coberta da Piazza Duomo á Piazza della Scala. Hoje é uma bonita galeria com várias lojas de marcas famosas, restaurantes e bares. O lugar é convidativo para sentar e tomar um café, ou ate mesmo fazer uma refeição, mas saiba de antemão que é caro. A mesma dica vale para os barzinhos com mesas nas calçadas que se encontram na Corso Vittorio Emanuele e Via Dante.

Pinacoteca Ambrosiana

Está situada pertinho de Duomo, num edifício do século XVI, oferecendo ao público quatro séculos de precioso patrimônio de livros e pinturas, onde conserva o “Codigo Atlântico” de Leonardo da Vinci, a maior e mais importante coleção de desenhos, pinturas e anotações desse artista fabuloso.

Castelo Sforzesco

Milão também tem um castelo, se chama “Sforzesco”.É um monumento fascinante, rico de história e mistério, vale uma visita. Pode ir caminhando de lá até Duomo, ou vice versa, é só pegar a Via Dante e seguir sempre reto, vai ter tanta loja e belos prédios pra admirar, que nem vai perceber a distância. O Castelo abriga algumas obras-primas de Canaletto, Mantegna, Bellotto e muitas outras. A entrada no castelo é gratuita, mas paga-se para visitar os museus.

Basílica de Santa Maria delle Grazie

Para visitar o Cenacolo é imprescindível reservar online ou por telefone. Em Milão ingressos só com 3 meses de antecedência. Pra começar as visitas são com hora marcada e são limitadas a 25 pessoas por visita, e cada grupo só pode ficar la dentro por 15 minutos, tendo mais 15 minutos de intervalo entre os grupos, só assim é possível regular a temperatura, umidade e poluição dentro da sala, oque protegerá a pintura por muitos outros seculos.

Os Lagos da Lombardia

A Lombardia é rica de montanhas e lagos, e Milão se encontra circundada por essas maravilhas da natureza. Bem pertinho dela, tem várias regiões de lagos, a mais vizinha é aquela do Lago Maggiore, Como e Lecco, chega-se muito facilmente de trem em apenas 40/60 minutos. O Lago de Garda também é muito bonito, com cidadezinhas encantadoras, tipo Sirmione, Desenzano e Peschiera del Garda. Mas fica mais longe, aproximadamente a uns 90 minutos de trem. Aproveite para ir visitar um desses lugares, mas aconselho fazer esse passeio num dia de sol.

Onde comer

A melhor dica para quem visita Milão é sair das avenidas principais próximas aos pontos turísticos, pois em geral são caros e a comida não é boa. Acompanhe o Menu que geralmente os restaurantes deixam expostos em frente ao estabelecimento, olhe atentamente todos os valores. Um cuidado é com o valor do Coperto, que alguns restaurantes cobram, por pessoa, pelo uso de copo, talheres, mesa, etc..

Metro

O metrô de Milão tem 3 linhas e 76 km de extensão, com 88 estações. Com o sistema de transporte público que integra bondes, ônibus e metrôs você paga 3 euros e anda 24 hs. Os bilhetes podem ser comprados antecipadamente e validados ao ingressar nos meios de transporte.

Outras Dicas

  • Stazione Centrale di Milano (Estação Central de Milão) liga Milão as principais cidades italianas e europeias, foi construída em 1925-31 durante o período facista, sua imponência é de grande impacto. Dê uma passadinha por lá, além de ser grátis, vai ver um monumento como poucos. Chega-se muito facilmente com o metrô linha verde ou amarela.
  • A vida noturna de Milão é dividida entre bares e discotecas. As áreas mais conhecidas de entretenimento onde esses lugares estão abertos até madrugada são: As colunas de San Lorenzo, Naviglio e Garibaldi.
  • Visitar Cinqueterre é o máximo, como o nome diz são 5 vilarejos na costa do Mar Mediterrâneo, Patrimônios da Humanidade pela Unesco, penhascos, plantações de limão siciliano, uma praia mais charmosa que a outra, pequenininhas mas vale a pena vistar Monterosso al Mare, Manarola e Riomaggiore

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *