Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Bonito: Trilhas e Cachoeiras na Boca da Onça

Boca da Onça
Trilha da Cachoeira da Boca da Onça

A Boca da Onça Ecotour é uma empresa de turismo receptivo focada na qualidade dos serviços, do atendimento e na preservação do meio ambiente. Dispõe de uma completa infraestrutura para que possamos tirar o maior proveito do contato com uma natureza selvagem. Lá encontramos um receptivo com ambientes especialmente implantados para dar conforto a todos. Compreendendo restaurante com culinária regional, feita à lenha, bar, lojinha de Souvenirs, vestiários, conexão wireless, piscinas de água corrente com ducha natural, acompanhados por cardumes de peixes da região, tais como, piraputangas, dourados, cacharas e corimbas. Ou ainda, cochilar no redário apreciando uma vista deslumbrante.

Boca da onça
Receptivo da Fazenda

Boca da onça

As trilhas na Boca da Onça possuem escadas e corrimões de segurança, bancos para descanso e são monitoradas e vistoriadas diariamente, proporcionando total segurança e conforto aos aventureiros. São duas trilhas disponíveis (Trilha Ecológica da Boca da Onça e Trilha Ecológica do Rio Salobra). Há ainda o rapel da Boca da Onça, o mais alto rapel de plataforma do Brasil, com uma descida de 90 metros de altura, sendo uma aventura plena de emoções e com muita adrenalina. Todas essas atividades são acompanhadas por guias treinados no local, munidos de rádios transmissores e mochilas com material para primeiros socorros.

Saímos bem cedo de Bonito e encaramos 59 Km, com bom trecho de estrada de terra até a sede da fazenda, localizada no município de Bodoquena. Já tínhamos optado fazer a trilha ecológica Boca da Onça, são 4 Km de caminhada por uma mata bem preserva, que nos levou a conhecer aproximadamente dez cachoeiras, dentre elas a Cachoeira Boca da Onça – a mais alta do estado do Mato Grosso do Sul, porém antes assistimos um vídeo com instruções sobre o trekking.

A trilha é bem demarcada
A trilha é bem demarcada

Quando você compra o pacote na agência você já agenda o horário, A cada meia hora saem dois grupos de 18 pessoas em sentidos alternados da trilha, como as paradas para banho são controladas, isso permite que os grupos só se cruzem no meio da trilha e nunca nas paradas para banho.
Com os grupos formados partimos numa camionete, tipo pau de arara, em direção ao início da trilha, disseram que demos sorte, pois pegamos a trilha no sentido horário, descendo a imensa escadaria, sendo assim, pegamos um retorno até sede por uma escadaria menos íngreme, hehehehe. O primeiro grupo seguiu em sentido anti-horário, contrário ao nosso. Abaixo segue detalhadamente o esquema da nossa trilha, onde começamos pelo ponto 15, ou seja, Garganta Boca da Onça (base do rapel) e seguimos em ordem decrescente ao número de pontos, terminando no 1, sede da fazenda. Então os pontos que visitamos estão na ordem inversa do mapa abaixo.

imagem 1

1 – Início da Trilha da Boca da Onça, 2 – Piscinas da Cutia, 3 – Garganta da Arara,4 – Cachoeira da Anta, 5 – Cachoeira do Jabuti,
6- Buraco do Macaco, 7 – Caverna do Morcego, 8 – Cachoeira da Paca, 9 – Cachoeira do Fantasma, 10 – Cachoeira da Queixada,
11 – Poço do Lontra, 12 – Praia da Boca da Onça, 13 – Poço da Pedra do Baú,14 – Cachoeira Boca da Onça, 15 – Garganta da Boca da Onça

Iniciamos a trilha e logo de cara, estávamos na base do rapel de plataforma mais alto do Brasil (90m em negativo), não realizamos esta aventura, mas chegamos à beira da plataforma, de onde obtivemos uma espetacular visão do lindo cânion e vale do Rio Salobra. Este rio que é um afluente do Rio Miranda e pertence à bacia hidrográfica do Rio Paraguai, nasce nas escarpas da Serra da Bodoquena e segue o seu caminho através desse imenso cânion escavado nos paredões verticais de rocha calcária, abrigando grutas inexploradas e locais desconhecidos. É um rio protegido por lei, e um berçário dos peixes do Pantanal. Para evitar o desgaste das delicadas rochas calcárias, a operação do rapel é feita em negativo, sem o apoio dos pés na pedra, e para viabilizar essa prática, foi construída uma estrutura metálica de 34 metros de comprimento que avança 15 metros sobre o precipício.

boca da onça
Plataforma do rapel
Boca da onça
A longa escadaria de madeira

Depois começamos a descer uma gigante escada de 886 degraus construída ao longo do paredão do cânion e logo obtivemos os primeiros visuais da Cachoeira Boca da Onça no paredão do vale, linda. A Caminhada tem como primeira parada a cachoeira que dá nome a fazenda e a cachoeira, a Boca da Onça, e é só olhar para ela, que entendemos o porquê desse nome. Esta exuberante cachoeira com seus imponentes 156 metros de altura, é a mais alta do estado. Na base da cachoeira há um deck de madeira ótimo para descansar, lanchar e para um refrescante banho.

Boca da onça
Cachoeira da Boca da Onça

Depois de curtir a cachoeira, voltamos a trilha e passamos na praia da Boca da Onça, ótimo local também para banho, e seguimos o gostoso caminho sempre margeando o rio Salobra até o quiosque. Neste local, além de ser um ponto de apoio com bar e banheiros, podemos comprar bebidas, salgados e artesanato, mas não com dinheiro e sim com fichas que você troca na sede da fazenda. Ali também é possível desistir do trekking e seguir de camionete até a sede da fazenda.

Poço da Lontra
Poço da Lontra

Prosseguindo passamos pela linda cachoeira conhecida como Poço do Lontra, liberada para banho e apreciamos várias outras no percurso, todas muito bonitas, porém nem todas liberadas para o banho, como à Cachoeira do Fantasma, com seu aspecto meio sombrio que deixa um certo mistério, até chegarmos ao maravilhoso Buraco do Macaco. Uma das surpresas mais agradáveis da trilha, o Buraco do Macaco, é um lindo poço formado através da queda de uma pequena cachoeira, onde você pode se banhar depois que conhecer as mais belas atrações do local. Para ter acesso ao buraco, passamos por um túnel aberto em uma rocha dentro da água, tornando o banho mais divertido e radical.

Buraco do Macaco
Buraco do Macaco

IMG_1936w

Piscina da Cotia
Piscina da Cotia

Dali, retornamos à sede, parando em várias outras cachoeiras, mas após uma intensa caminhada ou a atividade de rapel, o grupo estava mesmo era com fome e saboreamos um almoço típico da fazenda, feito em um fogão a lenha, com ingredientes da própria fazenda.

Trilha do Rio Salobra: Não realizamos esta trilha por falta de tempo, mas dizem que a trilha proporciona uma deslumbrante visão da Serra da Bodoquena e uma descida emocionante em veículo 4X4 até a base do Cânion do Rio Salobra aonde a caminhada tem o seu início. O percurso de 2500 metros é feito pela mata ciliar, as margens do Rio Salobra, e oferece uma caminhada com paradas para banho em cinco lindas quedas de água do rio e na piscina natural da Cachoeira Boca da Onça.

imagem 2

1 – Início da Trilha do Rio Salobra, 2 – Lage do Piau, 3 – Cachoeira do Dourado, 4 – Corredeira do Cascudo, 5 – Estreito do Curimba,
6 – Queda da Piraputanga, 7 – Cachoeira da Fonte, 8 – Cachoeira da Boca da Onça, 9 – Garganta da Boca da Onça

Considerações finais:
A fazenda Boca da Onça fica na zona de entorno do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, abrangendo os municípios de Bodoquena, Bonito, Jardim e Porto Murtinho. A fazenda está bem estruturada para receber turistas do mundo inteiro, pois os passeios são feitos com segurança, organizados e produzindo baixo impacto ambiental quando comparado a outras regiões do país.
A Serra da Bodoquena está localizada na área de junção dos biomas: Pantanal, Chaco e Cerrado. Esse fator gerou uma imensa biodiversidade, o qual é a principal causa da exuberância das paisagens, da fauna e da flora na região. Caminhando na trilha encontramos aroeiras, Ipês, cedros, Jatobás, Bacuris (palmeira muito apreciada pelos animais), e os cada vez mais raros Jaracatiás. Quanto a fauna, devido as suas extensas áreas de mata contínua e intocada, poderemos encontrar espécies ameaçadas de extinção como: as onças pintada e parda, o tamanduá-bandeira, as araras vermelha e a azul, e os raríssimos Harpia e o Urubú-Rei.
Todas as nascentes localizadas dentro da fazenda Boca da Onça estão cercadas para impedir o acesso do gado e para o total desenvolvimento da mata ciliar, garantindo assim a pureza de suas águas, com uma variedade de peixes, como a Piraputanga e dourados.
Adoramos também as plaquinhas com poemas que estão por toda a trilha, praticamente toda coberta por árvores.

Informações úteis

  • O endereço da Boca da Onça: Rodovia MS-178 (Bodoquena/Bonito, km 26). O atrativo fica em Bodoquena – MS, a 59km do centro de Bonito – MS. O passeio geralmente dura 4 horas.
  • Receptivo: (67) 3255-1234 / 3255-1337 e 9606-4031.
  • Para fazer a sua reserva nas agências de Bonito: Na tarifa de todas as atividades da Boca da Onça estão inclusos, seguro, guia ou monitor e almoço. A agência é responsável pela sua reserva, pelo agendamento do seu transfer para a Boca da Onça e pela emissão do voucher (documento fiscal e de controle de visitação).

  • Preços: Os preços dessa atração podem ser cunsultados no site www.atrativosbonito.com.br/precos. Lembramos que em Bonito os preços são tabelados e todas as Agência praticam o mesmo valor.

  • Transfer de Bonito para a Boca da Onça: A Boca da Onça prioriza a excelência no atendimento aos seus visitantes, tanto na fazenda, como no acesso a ela, disponibilizando uma van com motorista, para quem quiser curtir as belas paisagens da estrada, sem ter que se preocupar com o itinerário.
  • A equipe de recepção está sempre pronta a atender suas necessidades. Os equipamentos receptivos e as piscinas estão preparados para receber portadores de deficiência.
  • É obrigatório o uso de tênis, ou calçado anti-derrapante, para a realização do passeio.
Veja outros Posts sobre Bonito:

Bonito: Roteiro de cinco dias

Bonito: Gruta do Lago Azul

Bonito: Fazenda San Francisco

Bonito: Cachoeira do Rio do Peixe

Bonito: Flutuação no Rio da Prata

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *