Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Neste post abordaremos a Região Norte da Ilha de Florianópolis que é formada por 5 distritos, o dos Ingleses do Rio Vermelho, da Cachoeira do Bom Jesus, da Canasvieiras, do Santo Antonio de Lisboa e do Ratones. Esta região é a mais populosa durante a alta temporada, contando com ótima infraestrutura em prestação de serviços e oferecendo atrações turísticas para todos os gostos, e ainda tendo a seu favor praias com águas quentes e calmas se comparada a outras regiões da ilha, é a região preferida dos banhistas.

A Região Sul da Ilha de Florianópolis é formada por 3 distritos, Campeche, Pântano do Sul e Ribeirão da Ilha. Nesta região encontramos praias que podem ser acessadas facilmente por carro, porém muitas outras que são verdadeiros paraísos da natureza, são alcançadas somente através de barco ou trilha. Muitas com pouca urbanização e outras com aspectos rústicos das colônias de pescadores que ainda preservam a história e a cultura dos nativos manezinhos da ilha.

Nesta região encontramos várias atrações naturais reunidas em seu espaço territorial, com destaques para suas praias, dunas, montanhas e um dos mais famosos cartões postais da cidade, a Lagoa da Conceição. Para os que gostam de adrenalina, a região é a meca dos esportes radicais na Ilha. Surf, windsurf, kitesurf, stand up, vela, caiaque, slack line, skate, rapel, arvorismo, tirolesa, pesca, mergulho, cavalgada, trilhas e voo livre, ufa! Isso tudo e muito mais em uma só região.

Nosso objetivo na Ilha era conhecer o maior número de praias possíveis, pois caso contrário não teríamos viajado para lá, na época do badaladíssimo verão catarinense.
Optamos por conhecer primeiro o Centro da Ilha, afinal Florianópolis possui muitos outros atrativos além de suas belezas naturais, como museus, edificações históricas, áreas de lazer e bons restaurantes, e quem não gosta conhecer um pouco da história e cultura de qualquer lugar que visitaremos.

Revisado e atualizado em Dezembro 2016
Os Lagos Andinos compõe um dos cenários mais belos do sul do Chile e da Argentina, e vem atraindo cada vez mais turistas e aventureiros para a região. A maioria das operadoras que vendem esse pacote incluem cidades dos dois países, mais se você tem pouco tempo pode optar somente pelo lado Chileno. Nesse post vou além, proponho um roteiro que passa pelas capitais, Santiago e Buenos Aires, e as cidades de Pucón, Puerto Varas, Bariloche, além é claro, o famoso Cruce Andino.

Ponto alto de nossa viagem a Sergipe, a visita ao Complexo turístico do Cânion do Xingó no Velho Chico, criou uma grande expectativa, pois conheceríamos algo totalmente diferente em pleno Sertão do Nordeste Brasileiro. Ninguém imaginava que aquela área, quase deserta a duas décadas atrás, coberta pela caatinga e pelo Rio Canindé, que corria praticamente seco, se transformaria hoje em um oásis em pleno sertão, com uma vegetação exuberante, tornando-se um grande pólo turístico, que atrai gente do mundo inteiro.

Conhecer as cidades históricas de Sergipe é fazer uma viagem ao passado. Elas ficam a menos de 30 km de Aracaju. São Cristóvão, fundada em 1590, é a quarta cidade mais antiga do Brasil e primeira capital do Estado de Sergipe. Em 2010, a Praça de São Francisco, símbolo da cidade, foi reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. Laranjeiras, não é tão visitada como São Cristóvão, porém é outra joia do período colonial brasileiro, cheia de casarões seculares e manifestações folclóricas únicas.

Elas são vizinhas e extremamente belas, estão separadas apenas pelo rio Real. A grande diferença é que uma fica no Estado de Sergipe e a outra no Estado da Bahia. Ambas fazem parte de uma combinação perfeita para quem visita o litoral do sul de Sergipe e do norte da Bahia, pois as duas possuem ruas de areia, dunas para passeios de buggy e praias desertas na baixa temporada e bem movimentadas na alta. Apesar de Mangue Seco ficar Bahia é mais perto conhece-la por Aracaju.

Exprimida entre dois rios, ao sul o Vaza-Barris, e o Sergipe ao norte, Aracaju é considerada, entre as capitais nordestinas, a que possui a melhor qualidade de vida, e não é para menos, possui muitas ciclovias, praias maravilhosas, uma infinidade de bares e restaurantes, uma rede hoteleira bastante diversificada, é muito bem sinalizada e limpa, principalmente na orla, dando a todos que a visitam uma sensação de tranqüilidade.

Sergipe, o menor estado brasileiro, não vive somente da cereja do bolo, o cânion de Xingó, no Rio São Francisco. Na direção do litoral sul, são imperdíveis um passeio a Praia do Saco e Mangue Seco, terra de Tieta, já em terras baianas. E para o litoral norte, Barra dos Coqueiros, Pirambu e o pantanal de Pacajuba são uma boa escolha. Merecem visitas também as cidades históricas de Laranjeiras e de São Cristóvão, antiga capital do estado e ainda o Parque dos Falcões e é claro, o Cânion do Xingó.