Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Seguimos em direção a Maragogi, passamos direto por Barreiros e entramos em São José da Coroa Grande, ultimo município pernambucano e conhecemos a praia do centro da cidade, com águas mornas e tranqüilas. Seu nome surge das coroas, formações rochosas que aparecem com a maré baixa e criam enormes piscinas naturais. Abriga alguns bares na orla e restaurantes com pratos à base de frutos do mar, não visitamos a Praia da Várzea do Uma e do Gravatá.

Continuando nossa viagem, seguimos pela estrada PE-60 em direção ao Município de Tamandaré distante 48Km de Porto de Galinhas, não entramos para visitar as praias da Enseadinha, Cacimbas e Toquinho, nem tampouco as cidades de Sirinhaém e Rio Formoso. Chegamos a Tamandaré e após a hospedagem almoçamos no Tapera do Sabor, onde fechamos o passeio para o dia seguinte até a Praia dos Carneiros.

Este é o primeiro post de uma série de quatro sobre a nossa viagem pela Costa dos Corais. Com extensão de 185km entre o litoral Sul de Pernambuco e o Norte de Alagoas, esse litoral possui uma das maiores Barreiras de Corais do Mundo. Nesse primeiro trecho da viagem vamos percorrer cerca de 70Km entre a cidade de Recife e Porto de Galinhas. A distancia é bem curta mas a ideia e ir desvendando as praias da região.

A Chapada dos Veadeiros é uma região que abriga mais de 90% de todo o Cerrado de Altitude do mundo e fica situada no nordeste do estado de Goiás que abriga o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, reconhecido como Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO e a Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto onde se localiza o ponto mais alto do planalto central com 1676 metros de altitude.

Aproveitamos um convite de nossos amigos Márcio e Gina, para passarmos um final de semana em sua casa na Praia da Várzea, Ilha de Jaguanum, situado na Costa Verde. A Costa Verde é um pedaço do paraíso localizado entre o Rio de Janeiro e São Paulo, com 365 ilhas, 8 baías e 2.000 praias, compreendidas entre a ponta do Sino na Restinga de Marambaia e da Juatinga em Paraty , tendo a Ilha Grande à frente do oceano protegendo a grande baía.

Saímos da Cidade do Rio de Janeiro em direção à bela cidade colonial de Paraty, localizada na Costa verde ao sul do Estado, considerada pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso”. A cidade foi fundada em 1667 em torno à Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sua padroeira. Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra época, onde o caminhar é vagaroso devido às pedras “pés-de-moleque” de suas ruas e o visual é lindo por conta do colorido de seu casario. A proibição do tráfego de automóveis no Centro contribui para esta viagem pelo “Túnel do tempo”.

O Brasil é um país com dimensões continentais, e oferece aos amantes da natureza e dos esportes radicais inúmeros cenários espetaculares com paisagens exuberantes, sendo um desses lugares o Jalapão. Localizado numa área de transição entre as vegetações de cerrado e da caatinga, abrangendo diversos municípios no leste do Estado de Tocantins, o Jalapão é um daqueles lugares que a natureza tentou esconder e, assim, se mantém intacto até hoje, sendo para muitos um grande oásis

Saímos de carro do Rio de Janeiro dia 16 de maio para uma viagem de 10 dias pela Costa do Cacau e Costa do Dendê, para conhecer mais especificamente Barra Grande e Itacaré no sul da Bahia. Percorremos mais de 3000km, passando por cidades como Ilhéus, Porto Seguro na Bahia e Guarapari no Espirito Santos, na maioria das vezes debaixo de muita chuva, o que comprometei um pouco a nossa viagem.

Quando começamos a pesquisar sobre os Lençóis Maranhenses, veio a ideia de fazer uma viagem diferente. Pensamos então na Rota das Emoções, uma viagem que percorre o litoral de São Luís do Maranhão, Parque Nacional dos Lençóis, passando pelo Delta do Parnaíba no Piauí, Jericoacoara, e indo até Fortaleza, no Ceará. Muitas informações foram consultadas, inclusive as de operadoras com pacotes semelhantes, porém logo descartadas por serem muito caras. Então optamos por um roteiro bolado por nós mesmo, com mais adrenalina.

São Luís, a capital maranhense, está divida em duas partes distintas. De um lado, o Centro Histórico com suas igrejas, museus, vielas e casarões com fachadas forradas de azulejos portugueses. Do outro lado, atravessando o rio Anil, pela ponte José Sarney, rola a área nobre da cidade, situada ao longo da Avenida dos Holandeses e litorânea. Após um breve descanso, afinal não podíamos perder tempo, saímos caminhando pelo Centro Histórico e fomos parar no Terminal Rodoviário, onde nos indicaram um ônibus para conhecermos o litoral da Cidade, cujo ponto final era a Praia do Calhau, uma das mais frequentadas por aqui.