Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

O parque abrange os municípios de Jacinto Machado, Praia Grande (SC) e Cambará do Sul (RS). Possui belezas visuais raras, como o Canyon Fortaleza, cachoeiras e espécies raras de fauna e flora. Coexistem na área do parque a floresta de araucárias, campos e a floresta pluvial atlântica.

São três as trilhas abertas ao público no Parque Nacional do Aparados da Serra, sendo as trilha do Vértice e a do Cotovelo na parte alta do parque, que permitem contemplar as principais atrações do cânion Itaimbezinho, com entradas por Cambará do Sul. E a Trilha do Rio do Boi na parte baixa do cânion que proporciona aos turistas mais aventureiros uma caminhada longa pelo interior do cânion que exige mais esforço físico.

Cambará do Sul é uma cidadezinha no alto da serra gaúcha a cerca de 190km de Porto Alegre. E o que essa cidadezinha pacata tem a oferecer para ser tão visitada? Uma natureza exuberante. Cambará do Sul é a porta de entrada para os maiores cânions brasileiros o Itaimbezinho no Parque Nacional do Aparatos da Serra e o Fortaleza no Parque Nacional da Serra Geral o que torna a cidade ponto de encontro para aventureiros e amantes da natureza.

O percurso entre Maragogi e São Miguel dos Milagres é um dos trechos mais bonitos da viagem, passando por Boqueirão e Japaratinga, num trajeto de cerca de uma hora, repleto de belíssimas praias praticamente desertas e cercadas por plantações de coqueiros (onde, na maré baixa, dá para avançar centenas de metros com a água pelo joelho). Apesar do caminho entre São Miguel dos Milagres e Maragogi ser feito em cerca de uma hora, vale a pena reservar pelo menos a metade do dia para passear pelas praias nas pequenas vilas de pescadores que cercam a estrada. Aproveite para almoçar numa das vilas por ali mesmo, onde qualquer morador sabe indicar um restaurante bom e barato que sirva uma suculenta peixada, especialidade local.

Seguimos em direção a Maragogi, passamos direto por Barreiros e entramos em São José da Coroa Grande, ultimo município pernambucano e conhecemos a praia do centro da cidade, com águas mornas e tranqüilas. Seu nome surge das coroas, formações rochosas que aparecem com a maré baixa e criam enormes piscinas naturais. Abriga alguns bares na orla e restaurantes com pratos à base de frutos do mar, não visitamos a Praia da Várzea do Uma e do Gravatá.

Continuando nossa viagem, seguimos pela estrada PE-60 em direção ao Município de Tamandaré distante 48Km de Porto de Galinhas, não entramos para visitar as praias da Enseadinha, Cacimbas e Toquinho, nem tampouco as cidades de Sirinhaém e Rio Formoso. Chegamos a Tamandaré e após a hospedagem almoçamos no Tapera do Sabor, onde fechamos o passeio para o dia seguinte até a Praia dos Carneiros.

Este é o primeiro post de uma série de quatro sobre a nossa viagem pela Costa dos Corais. Com extensão de 185km entre o litoral Sul de Pernambuco e o Norte de Alagoas, esse litoral possui uma das maiores Barreiras de Corais do Mundo. Nesse primeiro trecho da viagem vamos percorrer cerca de 70Km entre a cidade de Recife e Porto de Galinhas. A distancia é bem curta mas a ideia e ir desvendando as praias da região.

A Chapada dos Veadeiros é uma região que abriga mais de 90% de todo o Cerrado de Altitude do mundo e fica situada no nordeste do estado de Goiás que abriga o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, reconhecido como Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO e a Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto onde se localiza o ponto mais alto do planalto central com 1676 metros de altitude.

Aproveitamos um convite de nossos amigos Márcio e Gina, para passarmos um final de semana em sua casa na Praia da Várzea, Ilha de Jaguanum, situado na Costa Verde. A Costa Verde é um pedaço do paraíso localizado entre o Rio de Janeiro e São Paulo, com 365 ilhas, 8 baías e 2.000 praias, compreendidas entre a ponta do Sino na Restinga de Marambaia e da Juatinga em Paraty , tendo a Ilha Grande à frente do oceano protegendo a grande baía.

Saímos da Cidade do Rio de Janeiro em direção à bela cidade colonial de Paraty, localizada na Costa verde ao sul do Estado, considerada pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso”. A cidade foi fundada em 1667 em torno à Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, sua padroeira. Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra época, onde o caminhar é vagaroso devido às pedras “pés-de-moleque” de suas ruas e o visual é lindo por conta do colorido de seu casario. A proibição do tráfego de automóveis no Centro contribui para esta viagem pelo “Túnel do tempo”.