Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Desta vez o destino escolhido foi a Patagônia Argentina. Localizada no sul da América do Sul, abrangendo quase dois terços dos territórios da Argentina e do Chile. São quase 800.000 quilômetros quadrados de território virgem, pouco explorado e de escassos habitantes. Uma região riquíssima em recursos naturais de incomparável beleza, fazendo deste lugar um dos mais belos do planeta. Foi nesse cenário que chegamos a Ushuaia, para iniciar uma viagem de 4 dias pela capital da Terra do Fogo.

Depois de uma semana de muita ralação na nossa expedição a Chapada Diamantina, nada como um descanso que ninguém é de ferro. Escolhemos para isso Morro de São Paulo. Localizada na Costa do Dendê, Município de Cairu, distante 308km da capital Salvador, o lugar é composto por cenários inesquecíveis. Atualmente suas praias são frequentadas por turistas de todo o Brasil e do mundo.

Com uma área de 1520 Km2, o Parque Nacional da Chapada Diamantina é um dos mais fascinantes parques naturais do Brasil. Encravado no coração da Bahia fazendo limite com os municípios de Lençóis, Andaraí, Mucugê, Ibicoara e Palmeiras, o Parque exibe um ecossistema bastante variado com inúmeras nascentes que brotam por entre os paredões rochosos.

A cidade de Santiago foi à última etapa da nossa viagem pela Bolívia e Chile. Foram 13 dias inesquecíveis em companhia dos nossos filhos, ter a companhia deles nesses dias da viagem foi para nós um privilégio. Não é qualquer dia que pai e filho podem juntos curtir uma grande aventura.

O Deserto de Atacama, foi a terceira etapa da nossa viagem pela Bolívia e Chile. Depois de cruzamos o Deserto de Sioli no sudoeste da Bolívia, passando pelas Lagunas Verde e Colorada, e entramos no Chile. Com cerca de 200 Km de extensão, é considerado o deserto mais alto e mais árido do mundo, pois chove muito pouco na região, em consequência das correntes marítimas do Pacífico não conseguirem passar para o deserto, por causa de sua altitude.

O Salar de Uyuni foi a próxima etapa da viagem pela Bolívia e Chile. Com 12.000 km², é a maior planície salgada do mundo. Está localizado no sudoeste da Bolívia quase na fronteira com o Chile, no Departamento de Potosí, a uma altitude de 3650m.
Segundo o site Wikipédia, a cerca de 40.000 anos atrás, a área era parte do Lago Michin, um gigantesco lago pré-histórico. Quando o lago secou, deixou como remanescentes os atuais lagos Poopó e Uru Uru, e dois grandes desertos salgados, Coipasa (o menor) e o extenso Uyuni.

La Paz é a capital mais alta da América do Sul. Encravada na boca de um vulcão extinto, reserva muitos atrativos para os mais aventureiros. No alto dos seus 3640 metros de altitude é possível observar as montanhas ao redor, quase todas acima de 5000 metros e com seus cumes nevados. Embora Sucre seja a capital do país, o governo tem a sua sede na cidade, que é considerada a capital administrativa da Bolívia.

No final da praia de Itacoatiara em Niterói, têm-se acesso ao Parque Estadual da Serra da Tiririca, local escolhido por nosso grupo para praticarmos o Rapel, modalidade esportiva de descida em corda. Vinte minutos de trilha leve e chegamos ao nosso destino: duas belas formações rochosas com uma distancia de quase 12m entre elas. De um lado, o mar batendo nas rochas, de outro, a montanha com sua exuberante vegetação, e entre eles um vão de 30m de altura nos aguardava.

O Parque Nacional de Jericoacoara foi o fechamento de uma magnífica viagem de 10 dias de férias pelo Ceará. A praia de Jericoacoara foi considerada uma das dez praias mais belas do mundo. Jeri, como é conhecida pelos nativos, foi capaz de manter o seu estilo de vida pacato e tranquilo, principalmente devido a sua localização remota. Localizada a 330Km de Fortaleza, à sua última hora de viagem deve ser feita em veículos 4 x 4, por estradas que cortam as dunas e também pela areia da praia.

Uma viagem inesquecível, isto é o que Fortaleza garante aos seus visitantes. Com temperatura média de 27ºC, um mar de águas limpas e morna, e um céu quase sempre azul, a capital do Ceará é um dos destinos preferidos de brasileiros e estrangeiros. E nós estivemos lá para conferir. As estações do ano não são bem definidas, existem apenas a época chuvosa, chamada localmente de “inverno”, que vai de janeiro a julho, e a seca, de agosto a dezembro. O mês mais chuvoso é abril e o mais seco é novembro. A melhor época para se conhecer Fortaleza, na minha opinião, é nos meses da seca . Com exceção de agosto quando a cidade fica completamente lotada de turistas estrangeiros, principalmente europeus, os outros meses de seca permitem ao visitante encontrar uma cidade um pouco mais vazia, fazendo com que você desfrute das suas belezas sem muitos atropelos..