Logo Blog de Viagens com Dicas e Roteiros

Barcelona – Perambulando pela Europa

Mas antes uma passadinha pela cidade de Zaragoza

Barcelona_650x120

7º Dia: Zaragoza – Espanha

Deixamos Madrid em direção à cidade de Zaragoza fundada pelo imperador romano Cesar Augusto em 24 A.C, percorrendo a autoestrada A2 e observando em ambos os lados uma paisagem bem variada, sendo o maior percurso com muita plantação de frutas, especialmente maçãs e pêssego e alguns pequenos trechos apresentando aridez. Notamos também um grande investimento do governo através de centenas de aerogeradores(cataventos)para produção de energia eólica, uma forma de energia alternativa limpa e sem poluição. Enfim após percorremos aproximadamente 300 Km em 3:30 horas chegamos a Zaragoza, capital da comunidade autônoma de Aragón, que está situada às margens do rio Ebro, no centro de um grande vale. Geograficamente sua localização é excepcional, pois está na metade do caminho entre Madri, Barcelona, Valência e Bilbao. Descemos do busão próximo a linda ponte de pedra, a mais antiga que corta o rio Ebro e mesmo sendo final de verão, quase inicio do outono europeu o calor estava insuportável, com um sol escaldante castigando a gente. Seguimos para o coração da cidade, a Plaza del Pilar, uma das mais extensas da Europa e onde se concentram as principais atrações da cidade, como a magnífica Basílica de Nuestra Señora del Pilar com suas onze cúpulas de azulejo colorido, que é a padroeira da Espanha. No seu interior encontram-se pinturas de Goya. Não subimos em sua torre por falta de tempo, mas dizem que tem uma visão privilegiada de grande parte de Zaragoza. Depois conhecemos a sede da Prefeitura e a parte externa da Catedral de San Salvador, conhecida como La Seo, que é Patrimônio Mundial da Humanidade, por seus restos de arte múdejar. Esta é uma arte que se desenvolveu na Península Ibérica, mas que além dos elementos hispânicos, também adotou os elementos dos muçulmanos que dominaram por séculos este território, até a Reconquista pelos Reis Católicos.

Paramos para almoçar no Las Palomas, pagamos 17 euros com tudo incluído, comida, bebida e sobremesa, podendo repetir várias vezes, muito boa comida. Vale muito quem pode gastar um pouquinho a mais do orçamento. Depois deste super almoço, pretendíamos conhecer outro Patrimônio da Humanidade, o Palácio de la Aljafería que está fora do circuito central, que dava para ir andando, porém novamente o pouco tempo que tínhamos, não dava para ir nem através de algum outro meu de transporte. Este palácio alberga desde construções islâmicas, góticas a reformas modernas e contemporâneas. Faça a visita guiada, o preço está incluído na entrada. Não restando outra alternativa, resolvemos perambular pelas ruas próximas do centro observando belos e imponentes edifícios, lojas, restaurantes e um belíssimo mercado art nouveau. A cidade conta com uma das maiores fábricas de automóvel da General Motors, a OPEL.

Pegamos a autoestrada AP-2, que é um prolongamento da A2, com destino a Barcelona, capital da Catalunha, e após percorrer os 300Km em 3 horas chegamos as 18:30h na encantadora cidade, onde nos dirigimos para o hotel que fica no charmoso bairro Grácia, fora da zona dita turística, porém bem localizado, perto da badalada Passeig de Grácia. Depois da hospedagem, de um revigorante banho e um breve descanso, o grupo jantou no próprio hotel e como não podíamos perder nenhuma oportunidade de conhecer algo diferente, pegamos o metrô pertinho do hotel, na estação Passeig de Grácia e descemos na estação Espanya para conhecer o Palácio Nacional e curtir o belo show da fontana luminosa, a Font Màgica de Montjuïc que foi criada em 1929 para a Exposição Internacional, e hoje é uma das atrações mais populares da cidade, pois oferece um espetáculo de musica, luzes e movimentos. O espetáculo das Fontes Luminosas jorra água e acendem suas luzes ao som de sinfonias famosas e outros ritmos, com duração de 15 minutos, repetindo a cada meia hora. O melhor momento para apreciar a beleza do Palau Nacional é à noite, quando o edifício e a fonte mágica estão iluminados.

8º Dia: Barcelona – Espanha

Barcelona é uma cidade portuária, voltada para o Mar Mediterrâneo, fundada no século 15 A.C pelo Imperador romano Augusto. É uma cidade linda, ousada, colorida e principalmente ensolarada, atraindo assim por estes motivos muita gente para a cidade. Neste dia realizamos na parte da manhã um passeio panorâmico de ônibus pela cidade com passagem pelos principais pontos turísticos, parando em alguns. Passamos pela Casa de Mila, Casa de Gaudi, Sagrada Família, Catedral de Barcelona, Porto Velho, Praia de Barceloneta, pela vila onde acolheu os atletas durante as olimpíadas e o Porto Olímpico, por MontJuic e Plaza Catalunya. A Basílica Sagrada Família foi a primeira parada, é a obra mais famosa do arquiteto catalão Antoni Gaudi(1852-1926), porém também é a mais polêmica. Sua construção teve início em 1882 e até hoje não foi concluída, pois diversos fatores contribuíram para isto, principalmente o falecimento do autor e a guerra civil espanhola. A igreja considerada um dos maiores monumentos arquitetônicos da Europa, é linda, porém ao chegar a sua frente é inevitável uma surpresa desagradável ao observamos gigantescos e horríveis guindastes movimentando sobre suas indescritíveis e belas torres coloridas, descaracterizando todo complexo da igreja, mas este é o preço que precisamos pagar para ver a esta exuberante obra concluída. Em seu interior é possível subir de elevador ou encarar cerca de 400 degraus para atingir uma de suas torres que é aberta a visitação e de onde se tem uma linda visão das ruas vizinhas. Ninguém sabe exatamente quando este patrimônio da humanidade ficará totalmente concluído, uns falam em torno do ano de 2050, mas pelo andar da carruagem acho que vai muito mais adiante e provavelmente não mais estaremos nesta para ver esta obra concluída. Hehehehehehe. Apesar deste fato e do tempo perdido na provável quilométrica fila de entrada, uma visita a esta obra é imperdível. Passamos pelo Bairro Gótico e paramos para conhecer a Catedral de Barcelona, um belo exemplo da arquitetura gótica que foi construída sobre o que foi um templo romano, possuindo ainda muros romanos ao seu redor.

Seguimos depois para Montjuic, uma colina escolhida para abrigar o centro olímpico e estádio das Olimpíadas de 1992, e de onde se obtêm uma bela vista panorâmica da cidade, com seus prédios modernos, contrastando com os antigos, do seu porto, do litoral e do mar. Se a visita coincidir com o pôr do sol, então com certeza este será um daqueles momentos inesquecíveis. Nesta área, encontra-se também a Fundação e o Museu Miró, o Palácio Nacional, o Castelo, o Jardim Botânico e outros pontos de interesse turístico. A melhor opção para chegar ao alto da montanha é através de teleférico, que conduz os visitantes até uma área, de onde através de uma pequena caminhada chega-se a Fortaleza de Montjuic. Esta fortificação domina a cidade desde 1640, quando foi erguida para vigiar os navios que se aproximavam e ao longo dos séculos e desempenhou diversas funções, sendo que no período da ditadura franquista serviu de prisão para os inimigos políticos de Francisco Franco que governou a Espanha de 1939 a 1975. Fomos somente até o primeiro estágio, onde após muitas fotos, retornamos ao centro da cidade, mais precisamente a Plaza de Catalunya. Neste ponto começa a Las Ramblas que só termina no largo da Estátua de Colón, esta é uma avenida movimentada e colorida, com um largo canteiro central, possuindo mais de 1 Km de extensão. Considerada o coração da cidade e cartão de visita de Barcelona, é um dos lugares mais frequentados da cidade, onde milhares de turistas se misturam num vai-e-vem frenético. É indispensável percorrê-la atentamente, pois músicos, cantores de ópera, mímicos, pintores, estátuas humanas, quiosques de flores e vendas de pássaros, o mercado da Boqueria, o Gran Teatre del Liceu, inúmeras lojas comerciais, restaurantes e cafés aconchegantes, fazem parte desse belo cenário.Quase na metade do caminho encontramos o famoso e fascinante Mercado La Boqueria. Este mercado construído em estilo art-noveau, é o sonho de todo gourmet, com uma variedade enlouquecedora de frutos do mar, carnes, pães, frutas de todas as cores e tudo o mais, cada barraca parece ter sido montada por uma produtora de moda.

Realmente um colírio para os nossos olhos. Almoçamos nas Ramblas, num dos muitos restaurantes ali existentes, comida boa e com bom preço. Retornamos e continuando nosso caminho, passamos pelo Palácio da Vice-rainha, pelo famoso Gran Teatro do Liceu e terminamos nosso mini trekking no Monumento a Colon, que com 60 m de altura, é um os mais conhecidos da cidade. Foi construído em 1886 em frente ao Porto de Barcelona ou Port Vell como também é conhecido, bem no lugar onde Cristovão Colombo desembarcou em 1493 e que une o final de Las Ramblas e o Paseo Colon. Um elevador conduz até um mirante no topo do monumento que oferece uma linda vista panorâmica de toda área. Resolvemos esticar mais um pouco a nossa caminhada até o Porto. A zona portuária divide-se em Porto Velho (Port Vell) onde se encontra o Maremágnum e o aquário, e Porto Novo (Port Nou), onde localizam as marinas com inúmeros barcos luxuosos. No Port Vell, uma longa passarela de pedestres adentra o mar e nos leva ao Maremágnum, um grande centro comercial em um local privilegiadíssimo com lojas, cafés, restaurantes e até discoteca. Aí também se encontra o sensacional aquário de Barcelona, um dos maiores da Europa. Pegamos o Metrô na estação Drassenas e retornamos ao hotel.

No final da tarde fomos até o Bairro Gótico e depois até Barceloneta. A Las Ramblas serve também como divisa entre o Bairro Gótico e El Raval, duas regiões a serem exploradas com calma. O Bairro Gótico é formado por becos tortuosos e estreitas ruelas medievais com muitos prédios antigos, bares, restaurantes, pequenos teatros, lojas, igrejas e muitas outras construções. Caminhar pela região é voltar no tempo, ver fachadas decoradas e placas de ruas e alamedas com inscrições em catalão indicando o nome. Seguindo por estas vielas de repente pode-se chegar a uma pequena praça ocupada por mesas com toalhas coloridas, quase todas ocupadas por gente nativa que conversam animadamente enquanto degustam tapas e vinhos, e ao lado pessoas com jeito de turistas de primeira viagem em dúvida sobre o que pedir, tentam decifrar o cardápio. Barceloneta é um bairro tradicional que mais parece uma aldeia de pescadores e um lugar cosmopolita muito procurado no verão, abrigando diversas atrações e é um dos melhores lugares pra provar um delicioso prato de frutos do mar. É a maior, a mais famosa e a mais frequentada praia da cidade.

À noite resolvemos conhecer o Oceanário que fica situado no centro da cidade e junto ao porto histórico, este enorme museu marítimo, o maior do mundo em espécies mediterrâneas, abriga mais de 11 mil seres de 450 espécies, divididos em 35 aquários. Ostenta também o único túnel submarino da Europa, cujo ponto alto é o túnel transparente com mais de 80 metros onde é possível ver tubarões e peixes de vários ângulos. Retornamos ao hotel para o pernoite, pois no dia seguinte bem cedo íamos viajar para Nice na França.

Considerações finais

Zaragoza é uma excelente parada para quem pretende visitar Barcelona. Apesar de ser uma animada cidade antiga com muitos e belos monumentos históricos e excelentes bares de tapas, poucos turistas cogitavam explorar o nordeste espanhol. Porém essa situação está mudando graças ao novo trem de alta velocidade que liga a cidade à Madri e a Barcelona, que agora fica a menos de duas horas de viagem. Guarde algumas horas para uma visita a Basílica del Pilar de Zaragoza, com certeza será um dos locais inesquecíveis da cidade.

Barcelona é uma cidade muito louca, hospitaleira, animada e cheia de constrastes. Está localizada bem no coração da Catalunha e não é a toa que esta cidade vive na moda, tem uma gastronomia fantástica, tem praias e bairros históricos muito bem preservados e é claro, respira arte por todos os cantos, pois obras dos gênios como Picasso, Miró e, sobretudo Antoni Gaudí estão aqui. Assim é Barcelona uma cidade cosmopolita e mediterrânea com ruas que já serviram de inspiração para grandes artistas e foi cenário para o filme “Todo sobre mi madre” de Almodóvar, e palco da recente Vicky Cristina Barcelona, único filme de Woody Allen rodado na Espanha. No centro urbano coabitam em perfeita harmonia elementos do passado com os exemplos mais bonitos de arquitetura contemporânea, como a Torre Agbar. O centro histórico, formado pelo Bairro Gótico e os bairros da Ribera e o Raval, é famoso pelos seus edifícios históricos e um passeio por suas ruas é essencial para entender os diferentes períodos da história de Barcelona, contemplar seus monumentos e principalmente, desfrutar da sua característica atmosfera mediterrânea. Passear pela Rambla é o clássico dos clássicos da cidade catalã e nos dias de vitoria do poderoso “Barça” é ali que sua imensa e eufórica torcida comemora. Aliás, o museu do clube e o Estádio Nou Camp é uma das atrações mais visitadas da cidade catalã. Na maior parte do ano, com exceção dos gelados meses de dezembro e janeiro, vale apena passear pela linda ponte de design moderno que leva ao Maremagnum,um shopping Center construído em pleno Mar Mediterrâneo e também pela beira-mar e parar em um dos muitos bares e restaurantes de Port Vell, na região portuária da cidade e degustar um bom vinho. Não deixe de visitar também o Parque Guell, não o visitamos por falta de tempo, mais dizem ser imperdível mais esta obra de Gaudí, também tombada pela UNESCO. O emprego de muitos mosaicos faz do Parque Ghell um lugar único, que incorpora diversos elementos arquitetônicos, formas inusitadas e símbolos multicoloridos, dando um pouco de magia em cada recanto do seu parque.

As Ramblas são o principal cartão de recepção de Barcelona, mas como é uma área repleta de turistas, os preços por aqui tendem a ser mais elevados que em outras regiões da cidade. Embora o charme de sentar-se numa mesinha destas seja inegável, é bom saber que existem preços bem melhores e refeições melhor servidas a pouca distância, como por exemplo no vizinho Barrio Gótico. Vale a pena sentar nas Ramblas e pedir uma cerveja, coca cola e tira-gostos, mas deixe para fazer a refeição em outro local. Logo no inicio da Ramblas tem um bebedouro, e diz o ditado que quem visita Barcelona pela primeira vez tem que beber água desta fonte para se apaixonar pela cidade e voltar um dia. Foi o que fizemos, pois pretendemos voltar a esta bela e encantadora cidade para ver o que não visitamos e rever o que vimos. Deixamos a cidade convencidos, como dissemos lá no início, que Barcelona é uma unanimidade e poderíamos dizer ainda muito mais sobre ela, mas seria inútil.

Texto: Valdir Neves

Veja as Fotos

As dicas para quem vai a Barcelona

Onde ficar

Hostal Hostemplo

Uma boa opção e fica a 2 quadras do templo da Sagrada Família, onde também tem estação de Metrô (linhas 2 e 5). O hostal é novíssimo, visual moderno, toalhas e lençois trocados diariamente e banheiro privativo. Tem que reservar, pois são poucas habitações, na faixa de 65 euros/casal. Sem café da manhã, mas há muitas opções bem pert.

Hotel Erasmus Residencia Gracia

Muito bem localizado, ambiente estudantil, apesar de não ter nada a ver com o sistema de intercâmbio Erasmus presente no filme Albergue Espanhol. O hotel é bem confortável sem ser de luxo, com apartamentos amplos, elevador, ar condicionado central, TV a cabo, Internet Wi-Fi e janelas acústicas. O farto café da manhã (opcional) é self service e não é caro. A estação de metrô mais próxima é a Lesseps. Em junho de 2010, 65 Euros a diária (casal).

O que fazer

Montjuic

Se você vem de metrô pegue a linha L1 ou L3 e desça na estação Paralel-lel. Siga mais 300 metros por uma passagem e chegará funicular subterrâneo que faz a primeira parte do percurso. Mais dois minutos de trajeto e chegará à estação de embarque do próprio Teleferic de Montjuic, de onde começa a parte mais divertida da viagem. Compre bilhetes de ida e volta e deixe sua câmera preparada para muitos cliques incríveis. .

Fonte mágica de Montjuic

Horários: Outono e inverno: Sexta e sábado 19:00 a 21:00. Primavera e verão: Quinta a domingo 21:00 as 23:30h

Aquarium

Horários: Diariamente 09:30 – 21:00 (seg a sex), 09:30 – 21:30 ( sab, dom e feriados), 09:30 – 21:30 (Jun e Set) 09:30 – 23:00 (Jul e Ago).

Sagrada Família

Horários: 09:00 – 18:00 (Out-Mar) 09:00 – 20:00 (Abr – Set) Metro: Sagrada Familia (Linha Azul, L5) e (Linha Roxa L2) Site oficial: www.sagradafamilia.cat/Comprar entradas antecipadas e sem filas

Barcelona Bus Turístico

Passa pelos principais pontos turísticos da cidade. Com grande número de ônibus você dificilmente ficará esperando mais do que 5 minutos. O preço é de 27,50 euros por 2 dias.

Como circular em Barcelona

A pé

Andar ainda é a melhor e mais barata forma de acompanhar toda a arquitetura e a vida de Barcelona. O metrô, com várias linhas, também é uma boa opção. Os ônibus podem levá-lo a alguns lugares que os metrôs não chegam. Durante as noites, o táxi é a melhor opção.

>Metrô

As linhas de metrô da cidade são numeradas de L1 a L8 e as de bonde de T1 a T4. Veja diversas informações úteis e mapa das linhas do metrô em Barcelona Metro Map . Veja também o site oficial TMB Barcelona Card

Um excelente modo de se locomover em Barcelona é comprando o Barcelona Card. Você tem direito a utilizar metrô e ônibus quantas vezes quiser durante o dia, e além disso ainda tem descontos em vários lugares, e entradas e passeios gratuitos em outros.

Onde comer

Las Parras

Passeig Joan de Borbó 50, Barcelona, Horario: L-S de 10 a 23.

Baita comida e ótimo preço. O clima do local é ótimo, sentamos na rua, em frente a marina da cidade.

Dicas de Zaragoza

Basílica de Nossa Senhora do Pilar

Inverno: 05:45 as 20:30h (segunda a sábado) e 05:45 as 21:30h (feriados e domingos)

Verão: 05:45 as 21:30 = grátis

Torre – Inverno: 09:30 – 14:00 e das 16:00-18:00 / Verão: 09:30 – 14:00 e das 16:00 – 19:00 (sexta-feira fechada)

Tarifa: $ 2,00€.

Catedral de San Salvador

Horários: Verão: terça a domingo das 10:00-19:00

Inverno: terça a sexta das 10:00-14:00 e das 16:00 – 18:00, Sábado – 10:00 as 13:00h e das 16:00 as 18:00h / Domingo – 10:00 as 12:00h e das 16:00 as 18:00h. Segunda – fechado.

Entrada: $ 2,50€.

Onde comer: Las Palomas

17 euros com tudo incluído, comida, bebida e sobremesa, podendo repetir várias vezes, muito boa comida. Plaza del Pilar, 16

Outras Dicas

  • No primeiro domingo do mês todas as entradas dos museus são grátis.
  • Nos períodos de baixa temporada (primavera e outono) são os ideais para ir a Barcelona. Durante essa época, as temperaturas são mais amenas e não fica cheio de turistas nos pontos de maior interesse. No verão, os dias são excessivamente quentes, atrapalhando os passeios. Evite o inverno porque chove muito.
  • Leve roupas leves e sapatos confortáveis para as longas caminhadas no calor, durante o verão, e algumas peças mais alinhadas para usar à noite. Durante o inverno, um casaco mais quente e uma capa de chuva podem ajudar.
  • A água em Barcelona também é potável, pode bebê-la nas torneiras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Saudações vascainas. Bigode safado, realmente vôces fizeram muita falta, muita bagunça e bobagens foram feitas nestes 23 dias pelo velho mundo, mas principalmente muitas amizades de amigos de toda parte do Brasil foram feitas também. Quanto a voltar ao grupo, só sob uma condição, vir aqui em casa com a camisa do vascão, kkkkkk. Estou esperando, hehehehehe.

  2. Boa Noite Saudaçoes Rubro Negras, como sempre todas as fotos comprovâo como e bom desfrutar das belezas da vida,pois o que realmente levamos são esses momentos maravilhosos.Um forte abraço e parabens a todos e tenho certeza que Deus vai permitir o meu retorno ao grupo, claro se o gulinha permitir.